Playback e música electrónica marcam retorno do“FestiSumbe”

O retorno do Festival Internacional de Música (FestiSumbe), quatro anos depois, ficou marcado com as performances dos músicos em playback e músicas electrónicas tocadas por vários DJs

Jorge Fernandes, enviado ao Sumbe
Fotos de Daniel MiguelApenas Yuri da Cunha exibiu-se com banda durante o primeiro dia do FestiSumbe, realizado perante centena de fãs, que assistiram ao vivo a performance do “show man”, que fez uma viagem ao seu reportório e ao cancioneiro popular angolano. Antes da sua subida ao palco, Yuri da Cunha evocou os santos fruto da sua espiritualidade e por respeito aos ancestrais, uma vez que tal como noutras ocasiões, os “Deuses” da música teriam que o acompanhar, durante o exitoso e contagiante espectáculo. Numa Marginal completamente lotada, o público viu desfilar vários músicos locais assim como outros ligados à produtora LS Republicano, organizador da gestão e produção do FestiSumbe, face a um memorando de entendimento com o Governo Provincial do Sumbe.Assim, até aos próximos quatro anos, a organização e realização do FestiSumbe estará a cargo desta empresa, que cuida de todo aparato logístico, encargos e demais custos relativos aos protagonistas do festival.

O espectáculo

Voltando ao espectáculo, o mote do evento ficou registado com exibição de DJs e de demais artistas, que, em playback, mostraram alguns dos seus maiores registos para gáudio da plateia vibrante do Sumbe, que em simultâneo lamentava as performances neste formato. “Um festival é de variedades, e nos agrada que aconteçam eventos como estes, mas ao mesmo tempo, temos de os ouvir ao vivo e a mostrar a criatividade das suas criações diferente do ouvimos nos Cds. Além disso, está a ser um espectúculo bom”, apontou Alice Guimarães apreciadora da Força Suprema. Naf Naf, DJ Callas, Pzeeboy, MP4, Lutonda, Tio Cardoso, Bessa Teixeira, Justino Handanga, Anderson Mário, Os The Twins, Yuri da Cunha, Força Suprema e tantos outros abrilhantaram o primeiro grande dia do festival de música do Sumbe. Até ao fecho desta edição, estava prevista ontem as actuações de grande parte dos músicos agenciados pela LS, com destaque para Yannick Afroman, Cláudio Fênix, Jay Oliver, Gabeladas, Kyaku Kyadaff, Rui Orlando, Puto Português, Ary, Yobass e tantos outros.

“Estrelas internacionais ausentes”

Embora alguns dos músicos angolanos estejam a consoli-dar carreiras internacionais, ao FestiSumbe 2019 não compareceu nenhum artista estrangeiro de dimensão mundial como era apanágio do festival em ocasiões anteriores. De acordo com a organização, este facto deve-se ao actual momento de recessão económicofinanceira mundial, a que Angola não está indiferente. Por essa razão, não foi possível a participação de artistas internacionais.

“FestiSumbe”

Saliente-se que o Festival de Internacional de Música Sumbe é realizado por ocasião do aniversário da fundação da cidade (15 de Setembro 1917), assinalando este ano 102 anos de existência, num território coberto por 12 municípios (Amboim, Cassongue, Conda, Ebo, Quibala, Quilenda, Libolo, Mussende, Porto Amboim, Sumbe, Seles e Cela).

error: Content is protected !!