UNITA em debate sobre como eleger novo líder

 

As pré-candidaturas foram abertas oficialmente ontem, pela comissão preparatória do congresso, mas as discussões giram em torno do modo de eleição, entre as directas e as primárias

 

Por:Norberto Sateco

A UNITA, o maior partido da Oposição em Angola, está analisar a possibilidade de alterar nos seus estatutos o ponto sobre a massa votante, no XIII congresso ordinário. Algumas comissões preparatórias ao nível dos municípios defendem que os delegados não devem ser os únicos a participar no escrutínio, devendo-se alargar o espectro para a massa militante das bases. Segundo adiantou o porta-voz da comissão preparatório do Congresso, Ruben Sicato, estas iniciativas visam, essencialmente, promover e aprofundar a democracia no processo eleitoral interno.

“Existem duas correntes, uma sustenta a tese segundo a qual todos os militantes, a começar da base ao topo, devessem participar no processo de votação”, disse. No outro lado está outra corrente de militantes, que defende a realização de eleições primárias, possibilitando a votação das bases, e as secundárias para a votação dos delegados. Entretanto, estas propostas, concertadas ao nível das comissões preparatórias municipais, deverão passar pelo crivo do Comité Permanente da Comissão Política(CPCP) e só depois poderão figurar na agenda de assuntos a serem debatidos no Conclave.

Os estatutos actuais do “galo negro” determinam que apenas os delegados ao congresso podem votar nos candidatos a presidente do partido. Outro tema que também está a dividir a opinião dos “maninhos” é o relacionado com o número de mandatos que o presidente deve merecer à luz dos estatutos. Entretanto, esta Segunda-feira, 16, foram oficialmente abertas as pré-candidaturas para a corrida eleitoral, devendo decorrer até 30 de Novembro.

Segundo a organização, ainda não existe qualquer candidatura registada oficialmente, apenas manifestações de intenções, uma vez que os candidatos terão de reunir os requisitos exigidos para concorrer, passando pela apresentação de uma biografia que espelhe o percurso político, bem como a recolha de até 1000 assinaturas em todas as províncias do país. Dentre os putativos candidatos destacam-se altos responsáveis do partido como o presidente do Grupo Parlamentar, Adalberto Costa Júnior, o deputado José Pedro Catchiungo, o vice-presidente Raúl Danda e o antigo secretário- geral Abílio Camalata Numa

. “O dia 30 é o mais importante, em que poderemos anunciar os concorrentes aprovados para as eleições. Neste momento deverão estar à procura de assinaturas e outras exigências. Talvez daqui a uma semana é que teremos o registo de pré-candidatos”, disse Rubem Sicato. Quanto à recandidatura do actual presidente, Isaías Samakuva, Sicato evitou avançar mais pormenores sobre o assunto, numa altura em que Samakuva ainda não anunciou publicamente a sua retirada ou continuidade na política activa.

error: Content is protected !!