Bióloga angolana vence concurso internacional sobre preservação da terra

Os vencedores receberão o seu prémio durante a Cerimônia dos Campeões da Terra em Nova York, na próxima Quinta-feira, 26, coincidindo com a reunião anual da Assembleia Geral das Nações unidas e a Cúpula de Ação Climática

A angolana Adjany Costa, de 29 anos, venceu ontem o Prémio Jovens Campeões da Terra para a África, pelos seus esforços em conservar os últimos lugares selvagens do mundo, localizados no Cuando Cubango. A bióloga faz parte de um grupo de sete empreendedores com menos de 30 anos de idade com ideias sustentaveis que foram reconhecidos em todo mundo, de acordo com uma nota de Imprensa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) enviada ontem OPAÍS.

Participaram no concurso mais de 1.000 candidatos, tendo sido selecionados 35 finalistas regionais, porém, dos quais somente sete se sagraram vencedores, provenientes de África, América do Norte, América Latina e Caribe, Ásia e Pacífico, Europa e Ásia Ocidental. Por esta conquista, ela receberá financiamento, orientação e apoio de comunicação para ampliar os seus esforços na conservação de “pontos preciosos de água e de biodiversidade em Angola”. A premiação ocorre a escassos dias da realização da Cimeira de Acção Climática e Assembleia Geral, evento que vai reunir diversos líderes mundias na sede da ONU, em Nova York.

Segundo a organização, ela está a trabalhar com a comunidade Luchaze, ameaçada por práticas insustentáveis de subsistência após a guerra civil, como o derrube da floresta de Miombo, depois deste local ter sido desminado. “À medida que as comunidades retornam à terra, proteger a floresta de Miombo, que retém água e nutre a biodiversidade, é fundamental para a protecção ambiental”, diz a organização. De realçar que a bacia do rio Okavango é um ecossistema vital e parte da maior zona úmida de água doce do Sul de África. Mais de um milhão de pessoas dependem da bacia compartilhada por Angola, Namíbia e Botsuana.

O Prémio Jovens Campeões da Terra, oferecido pela Covestro, é concedido anualmente pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente a jovens ambientalistas entre 18 e 30 anos de idade, pelas suas destacadas ideias de protecção do meio ambiente. Adjany Costa integra a lista de exploradores emergentes da National Geographic Society, da qual tem recebido apoio, no quadro do projecto de incentivo aos cientistas e outros profissionais ligados à ciência e que se evidenciam no mundo com o seu trabalho.

error: Content is protected !!