O melhor nome de todos

um espaço para a comercialização de produtos diversos denominado “Mercado dos Combustíveis”, com capacidade para albergar mais de oito mil pessoas, entra em funcionamento este mês, no município do Cazenga, em Luanda. Oito mil pessoas num mercado.

É mesmo combustível para a confusão. Será que as autoridades angolanas não conseguem perceber que isto não faz sentido? Que este sítio, tal como outros existentes em Luanda, vai ser mais um cheio de lama, de lixo espalhado, de roubos, de moscas, enfi m, que vai ser outra má experiência? Por que será que as autoridades julgam que podem tratar as pessoas como animais? Para frescos e hortícolas, Luanda não precisa de grandes mercados, nem Luanda, nem qualquer outra cidade. As pessoas não vão lá ver uma partida de futebol, não se trata de estádios. Luanda precisa é de recuperar os mercados de bairro, pequenos, um ou dois por bairro. Limpos, seguros, próximos e amigos do cidadão.

Disseminando pequenos mercados, a experiência de compra é mais agradável, assim como a confi ança entre vendedor e comprador, criase até mais postos de trabalho e é mais fácil para as autoridades a recolha das taxas devidas. Em matéria de segurança nem é preciso falar, não se compara.

O Mercado dos Combustíveis, anunciado para albergar mais de oito mil pessoas, ainda bem que tem este nome, dará mais um fogo para a governação de Luanda se queimar.

error: Content is protected !!