Autoridades apreendem 35 mil quilates de diamantes

Pelo menos 35 mil quilates de diamantes foram apreendidos pelas autoridades angolanas, durante a “Operação Transparência” que vigora desde Setembro de 2018.

O dado foi avançado nesta sexta-feira, em Luanda, pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança, Pedro Sebastião, durante uma reunião de balanço da implementação do primeiro ano da operação, que resultou também na detenção de 527 mil e 725 imigrantes ilegais.

Segundo o governante, as autoridades encerraram, em um ano, 96 cooperativas ilegais de diamantes, quatro projecto mineiro e 289 casas de compra de diamantes.

No quadro da Operação Transparência, foram ainda aprendidas 114 armas de fogo e 1200 equipamentos de apoio à exploração ilegal de diamantes.

A costa marítima, aonde a operação se estendeu há seis meses, numa extensão de mil 650 quilómetros, registou-se mil 353 missões de patrulhamento e 390 interpelações.

Essas actividades resultaram na apreensão de 356 embarcações de pesca, 165 ml de combustíveis, mais de 250 toneladas de pescado e 50 de crustáceos.

A operação foi inicialmente lançada em terra, nas províncias da Lunda Norte, Lunda Sul, de Malanje, do Moxico, Bié, Uíge e Zaire, para travar o garimpo de diamantes e a imigração ilegal em Angola.

Em Março do ano em curso foi estendida à costa marítima, para combater a pesca ilegal.

A operação visa ainda travar o contrabando de mercadorias, a imigração ilegal e o tráfico de drogas.

Ao intervir no acto de abertura da reunião de balanço, Pedro Sebastião afirmou que os resultados obtidos em um ano encorajam o Executivo a continuar com a Operação, punindo contraventores que colocam em causa o crescimento económico de Angola.

 

error: Content is protected !!