CARTA DO LEITOR: O outro lado da feira do emprego

Estimado director, estimados jornalistas, estou ainda a pensar no que aconteceu com a feira o emprego, que o governo organizou e por pouco não matou jovens, o que teria sido uma tragédia. aliás, não sei como é que o governo vai recuperar a amizade dos jovens depois daquilo.

O prejuízo político foi grande. Mesmo assim, permita-me dizer algumas coisas que não são palmadinhas nas costas dos jovens. Muitos deles estiveram empregados até há pouco tempo. Hoje estão no desemprego também por culpa própria, porque em angola as pessoas não aprendem a respeitar e a defender o emprego, só querem um sítio de onde venha o salário.

Sei de casos de jovens que ajudaram a destruir as próprias empresas onde trabalhavam, porque roubaram ao patrão e às empresas, esquecem que estão a prejudicar o seu emprego e o dos seus colegas.

Já me aconteceu isso e é desconfortável uma pessoa ter nos seus próprios trabalhadores a maior ameaça para a vida da empresa. Faltam muito e têm sempre uma desculpa.

Falta brio profissional, as coisas são feitas só para aldrabar, não interessa o bem feito. e agora com a crise? Muitas empresas faliram e as que ficaram só querem os melhores, os comprometidos e que valorizam o trabalho e a empresa.

Com esta crise, nem há mais espaço para os “bisnus” com que alguns viviam e não se importavam de lixar a empresa em que trabalhavam. espero que os angolanos tenham visto que o desemprego é um drama na vida das pessoas e que se tornem mais responsáveis quando tiverem uma oportunidade. e os que ainda têm emprego, que reflictam sobre aquelas imagens.

Fernando, Sousa Júnior Kilamba – Luanda

error: Content is protected !!