Parque hoteleiro do Cuanza-Sul satisfaz procura, garante responsável

A rondar a taxa de ocupação à volta dos 75 por cento, a província do Cuanza-Sul possui o terceiro maior parque hoteleiro do país, ficando apenas atrás de Luanda e Benguela

Jorge Fernandes, enviado ao Sumbe

A informação é do director de Cultura, Turismo, Juventude e Desportos do Cuanza- Sul, Agostinho Casseça ‘Mikas’, garantindo em entrevista a este jornal que a oferta do parque hoteleiro satisfaz os níveis de procura pelos usuários. Em termos numéricos, a província dispõe de 51 locais turísticos, uns já explorados outros por explorar, desde quedas e cachoeiras, cascatas, furnas, entre outros.

Existem no Cuanza-Sul 331 unidades no total, sendo 18 hotéis, 108 meios complementares, pensões, hospedarias, lodges, aldeamentos turísticos, 205 restaurantes e similares, com 1950 quartos, 2298 camas, 3260 mesas, 12750 cadeiras. Este quadro em termos de oferta do parque hoteleiro ao nível da província satisfaz a procura, segundo garantiu o responsável, a contar também com a taxa de ocupação que ronda os 75 por cento.

“Olhamos para dentro do nosso gabinete para o turismo e hotelaria, porque têm um peso maior na balança económica, pois a hotelaria e turismo têm uma especificidade em função da sua actuação e vocação natural”, salientou. Por essa razão, o pelouro que dirige procura dinamizar e incentivar os operadores turísticos e hoteleiros, e fruto destas iniciativas proporcionou-se, recentemente, uma formação com apoio do ministério da tutela a 26 guias turísticos, com vista a mostrar o potencial da província.

À semelhança do que acontece noutras regiões fora de Angola, o Cuanza-Sul quer potenciar as fazendas agro-turísticas. “Estas, além de cultivar os produtos agrícolas, também têm na sua componente hospedarias, restaurantes, piscinas e há essa receptividade por parte do empresariado”, manifestou.

Associação

Além da elaboração do Plano Director Turístico da Província do Cuanza-Sul (PDTCS), já em curso, a outra preocupação manifestada por Agostinho Casseça é a da criação de uma Associação Provincial de Hotéis e Resorts.

Ao nível dos municípios do Sumbe e do Amboim, os operadores do sector já mantiveram encontros com este propósito, que se estenderão aos demais, com vista a que haja um interlocutor válido para com o governo abordar matérias que têm que ver com a problemática turística.

Por outro lado, há a necessidade de cadastramento e identificação dos locais turísticos, de modo que os potenciais turistas ao visitarem os aludidos espaços, encontrem essas unidades previamente identificadas, sem qualquer dificuldade. Saliente-se que a província do Cuanza-Sul ocupa um território coberto por 12 municípios (Amboim, Cassongue, Conda, Ebo, Quibala, Quilenda, Libolo, Mussende, Porto Amboim, Sumbe, Seles e Cela). A 15 de Setembro completou 102 anos sobre a sua fundação em 1917.

 

 

error: Content is protected !!