Mais de 300 técnicos de saúde reforçam Benguela

Trezentos e cinquenta técnicos de saúde que vão reforçar as zonas periféricas do município de Benguela receberam, esta Segunda-feira, 23, as suas respectivas guias de colocação. Alguns técnicos vão pôr em funcionamento a sala de parto da Caota (Baía Farta), inaugurada há mais de quatro anos e que não funcionava por falta de recursos humanos

Trata-se de quadros admitidos no concurso público de 2018, sendo 21 médicos de clínica geral e 266 técnicos médios de enfermagem. Os demais são técnicos terapêuticos colocados nas áreas de análises clínicas, imagiologia, radiologia, farmácia e fisioterapia.

O chefe da repartição municipal de Saúde de Benguela, Garcia da Costa, citado pela Angop, disse que a aposta é alocar o maior número de técnicos nas áreas mais recônditas do município, com destaque para o Ukendi, Kapilongo, Uchi, Talamajamba, Mina e Caota, onde as unidades sanitárias eram asseguradas apenas por um técnico, passando actualmente para quatro.

O responsável adiantou que os técnicos vão permitir ainda a entrada em funcionamento das salas de parto nessas zonas, em particular a da Caota (Baía Farta), inaugurada há mais de quatro anos e que não funcionava por falta de recursos humanos.

Garcia Costa assegurou que os enfermeiros seleccionados para aquela unidade sanitária vão beneficiar de um estágio de 45 dias na maternidade do Hospital Geral de Benguela.

Entretanto, o administrador municipal de Benguela, Carlos Guardado, pediu aos novos quadros do sector da Saúde maior dedicação, bem como a absteremse da prática de corrupção.

Já a médica de clínica geral Karina Lopes, que recebeu colocação para o Hospital Municipal de Benguela, prometeu empenho e humanismo na assistência aos pacientes.

Com esta admissão, eleva-se para mil e 78 o número de técnicos de diversas áreas da saúde no município de Benguela, dos quais 43 são médicos.

error: Content is protected !!