“O legado da minha mãe continua vivo”

O fim da sua etapa levou- o ao Centro Ortopédico e de Reabilitação física que sofreu obras de restauro e de ampliação para garantir melhor e maior comodidade dos utentes, agora baptizado com o nome Princesa Diana. Reinaugurou o centro, percorreu os mais diversos compartimentos do seu interior e recebeu explicações do secrectário de Estado da Saúde para a Área Hospitalar, Leonardo Europeu e do director da unidade, Fernando Vicente sobre o seu funcionamento. No fim, Herry agradeceu, dizendo que se sente honrado pelo facto do legado de Diana ter sido reconhecido e comemorado com a nomeação do centro em sua homenagem. “Sinto-me humilde e honrado que o trabalho e o compromisso da minha mãe com a desminagem continue a inspirar”, disse, e continuou, mais adiante: “Foi uma honra refazer os passos da minha mãe hoje.

Eu perdi-a há 22 anos, mas a memória dela está comigo diariamente e o seu legado continua vivo. É por isso que estou feliz em nomear este centro ‘Princesa Diana’”. Disse que se Diana estivesse viva neste momento ficaria encantada por ver que este centro se tornou num líder global em reabilitação ortopédica. Herry referiu que o principal objectivo da sua vinda a Angola é tornar o quotidiano mais seguro e continuar a construir comunidades dinâmicas e prósperas, assim como proteger e preservar a rica diversidade da fauna e flora angolana, com espécies em fase de extinção. Antes de abandonar o Centro Ortopédico, Herry “vaticinou” que choveria, e cinco minutos depois da sua saída São Pedro abriu as torneiras, algo interpretado por alguns mais velhos presentes no local como sinal de bênção para fechar a visita do Duque de Sussex com chave de ouro.

error: Content is protected !!