Vitória de Yannick Afroman no Top dos Mais Queridos incentiva rappers

“Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. E assim Yannick Afroman, inconformado com o facto de ter ocupado a segunda posição em 2009, dez anos depois aparece e arrebata o maior prêmio do concurso, de 2 milhões de Kwanzas

Por:Adjelson Coimbra

O grande vencedor do Top dos Mais Queridos edição 2019, Yannick Afroman, com um total de 8593 votos, afirmou esta Quinta-feira, no Centro de Conferência de Belas (CCB), que sua vitória servirá de incentivo a outros rappers para próximas edições do concurso. Entusiasmado, o cantor disse ter cumprido uma etapa da sua vida, o que no seu entender, um rapper ganhar o Top dos Mais Queridos é um sonho. “Acho que acabo por incentivar as pessoas que estão no mesmo ramo que eu, é possível.

É uma dupla vitória e daqui para frente penso em cantar sempre, amo o meu trabalho”, referiu o rapper. Ao contrário do que têm sido as outras edições do Top dos Mais Queridos, cujo maior prémio é atribuído, geralmente, aos estilos musicais kizomba e semba, esta edição atribuiu o galardão ao tema musical “Bakongo”, de Yannick Afroman. Esta música, segundo Yannick, levantou a autoestima dos bakongo, o que os incitou a votar massivamente. A música fala sobre o tribalismo que este povo tem sofrido, e de forma geral vem a despromover o etnocentrismo, deixando a moral de que, independentemente da etnia a que pertencemos, todos somos angolanos.

Outros vencedores

Apesar de as expectativas do público estarem voltadas para músicos como Preto Show, Rui Orlando e Anna Joyce, o segundo lugar do pódio foi ocupado por Bessa Teixeira, com mais de 6 mil votos, com a música “Polombutão”, levando para a casa o montante de 1 milhão de kwanzas. Bessa Teixeira, natural do Huambo, sem querer chocar com Yannick ou causar quaisquer impressões tribalistas, dedicou o seu prémio a todos os sulanos. “Quando eu venho para cá, procuro sempre trazer uma história do Sul para a capital. E o espelho da moda é Luanda. Se a capital for o espelho da moda, nós devemos trazer os nossos luxos e costumes aqui, então, eu represento a parte Centro e Sul do país. Este povo está de parabéns, por eu ter ganho o segundo lugar”, disse.

Doravante, Bessa Teixeira promete continuar a ajudar novos talentos, em companhia de Justino Handanga, e trazer também o estilo Guetto Zouk, para tornar-se ainda mais desafiador nos concursos musicais. Já o cantor Gerilson Insrael, que obteve o terceiro lugar neste pódio com 4 mil e setenta e cinco votos, levou como prémio um montante de 800 mil kwanzas.

Organização

O porta-voz do evento, que já vai na 37ª edição, José Pedro Benge, afirmou que este ano, os preparativos começaram mais cedo para que os músicos tivessem mais tempo para ensaiar. “Este ano, aconteceu o inédito, mas esse inédito deve-se à votação popular. Os 10 Mais espelham isso, está aí uma força maior da nossa sociedade que é a juventude. Essa geração deve continuar este inédito de ser hoje o Yannick o mais votado, e dizer aos outros rappers que há espaço, que é possível acreditarem”, declarou. Quanto ao facto da música Bakongo ter ganho, Pedro Benge, disse ser uma vitória fruto de uma música de intervenção crítica, que fala de um complexo que muitos vivem.

error: Content is protected !!