Seguro agrícola pode aumentar investimento no sector

A implementação do seguro agrícola em Angola, cujos estudos estão em curso, prevê a partilha de riscos entre o Estado e as empresas seguradoras, uma iniciativa que permitirá maior investimento nesta actividade, afi rmou o presidente do Conselho de Administração da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (Arseg), Aguinaldo Jaime. O responsável, que falava no evento de celebração do 21º aniversário da instituição que dirige, esclareceu que os trabalhos estão a ser feitos com a ajuda de consultores internacionais especializados nesta matéria e visam identificar os riscos na actividade agrícola, para implementação deste sistema de partilha de riscos neste sector.

“Se é verdade que o seguro agrícola é importante, logo é necessário que se faça um estudo estruturado para que seja viável”, justifi – cando que a agricultura comporta muitos riscos, desde pragas às imprevisíveis situações climáticas, entre outros males. Em relação à criação da Angorre, e a empresa nacional de resseguros, uma estrutura de parceria público-privada, que vai permitir o crescimento da actividade seguradora no país, acrescentou que estão a ser feitos estudos para que seja criado um modelo de resseguro que satisfaça as necessidades de cobertura de riscos mais valiosos da economia nacional e, ao mesmo tempo, contribua para a retenção do sistema financeira nacional, ao invés de serem transferidos ao estrangeiro.

error: Content is protected !!