Bombeiros alertam para surgimento de calemas na costa de Luanda

O comando de Luanda do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) alertou a população residente ao longo da orla marítima de Luanda e frequentadores das praias a precaverem-se das calemas, iniciadas na tarde de segunda-feira.

As calemas tiveram início as 18.30, quando foi registada uma maré de três metros de altura e com agitação das ondas,  tendo inundado centenas de residências e quintais nos distritos dos Ramiros e Samba, municípios de Belas e Luanda.

O porta-voz do comando do SNPCB, Faustino Minguês, disse à Angop que das cinco as 11 horas de hoje (terça-feira)  registou-se igualmente maré alta.

Ainda hoje, das 17 horas as 23, as ondas vão atingir uma altura de um metro e 80 centímetros, com fortes ventos e agitação do mar.

Acrescentou que as calemas poderão prolongar-se até as próximas 72 horas.

Por este facto aconselha os banhistas  a não utilização das praias até que o sinal esteja verde, e a seguirem as orientações dos especialistas do projecto Praias Seguras de Angola destacados ao longo das praias.

Aos pescadores, principalmente os das pequenas embarcações, a terem muita cautela quando se fizerem ao mar.

A Unidade de Náufragos, localizada na zona da Chicala I,  tem instalado um sistema de alerta para prevenir a população em caso de aproximação de calemas.

Ao longo da costa marítima de Luanda, os bombeiros controlam 54 praias das quais 27  são proibidas e igual número autorizadas para os banhistas, sendo 12 vigiadas e 15 não vigiadas.

Disse que situação idêntica já se regista na costa das províncias de Benguela e Namibe.

As últimas calemas registadas na costa de Luanda, este ano, causaram três mortes, destruiram embarcações de pequeno porte e inundou centenas de residências.

error: Content is protected !!