Candidatos a professores começam a inscrições para dez mil vagas

O Ministério da Educação fez a abertura do concurso público de ingresso no sector colocando à disposição um total de dez mil vagas para 2019. Segundo o porta-voz do MEd, António Miguel, cabe agora às delegações provinciais tornar operacional o concurso

Estão oficialmente abertas, a partir de hoje (1 a 28 de Outubro), em todo o território nacional, as inscrições para o concurso público de ingresso na carreira de professor do ensino primário e secundário, com uma disponibilidade total de dez mil vagas, tal como tivera anunciado o Jornal OPAÍS na sua edição de 25 de Junho do corrente ano.

Em entrevista ao jornal OPAÍS, ontem, o porta-voz do Ministério da Educação (MED), António Miguel, disse que aquilo que é da responsabilidade desta instituição, isto é, a abertura do concurso, está feito, e cabe agora às delegações provinciais da Educação tornar possível o processo de inscrição.

Com a abertura oficial, as províncias todas podem começar a criar as condições para a recepção das candidaturas, pelo que, “hoje ou depois de amanhã, cada uma das províncias irá publicar no jornal estatal a sua organização. O que é da responsabilidade do ministério está feito”, confirmou o porta-voz. Tal como o MED tinha anunciado, o concurso público seria anual e, para este ano, foram reservadas 10 mil vagas a nível nacional. Deste número de vagas, as províncias do Cunene, Bié, Malanje e Zaire têm mil vagas cada, e as demais, com excepção de Luanda, têm 489.

No quadro do concurso público do ano passado, a cidade capital absorveu o maior número (2650 vagas) para professores do ensino primário, primeiro e segundo ciclos do ensino secundário. Neste ano, Luanda tem 154 vagas, todas para a Escola Nacional de Arte, também porque nem todos os candidatos aprovados no ano passado foram enquadrados. Ainda no concurso do ano passado, das 20 mil vagas, ficaram por preencher 1253, sendo 402 da província do Bié, 355 lugares do Zaire e 161 da província de Malanje, nos diferentes níveis de ensino.

Na divulgação dos resultados definitivos, o MED afastou todos os candidatos com menos de 10 valores que inicialmente preencheriam 20 mil vagas da quota disponibilizada, sendo que Isaac Paxe, então coordenador do referido concurso e director do Instituto Nacional de Formação de Quadros do sector, explicara a OPAÍS que as quotas perdidas seriam compensadas no concurso de 2019.

Em 2018 foram admitidos, por via de concurso público, mais de 18 mil docentes para o ensino geral. Com a inclusão dos técnicos no sistema escolar, já a partir do ano lectivo de 2019, o país passa a contar com aproximadamente 78 mil professores. Isso permitirá um maior equilíbrio no rácio professor/ aluno.

Caixa

Bengo 489
Benguela 489
Bié 1000
Cabinda 489
Cuando Cubango 489
Cuanza-Norte 489
Cuanza-Sul 489
Huambo 489
Huíla 489
Luanda 154
Lunda-Norte 489
Lunda-Sul 489
Malanje 1000
Moxico 489
Namibe 489
Uíge 489
Zaire 1000

error: Content is protected !!