Conferência recomenda rejuvenescimento da Polícia Nacional

A segunda Conferência Científica Regional sobre Segurança Pública do Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC) recomendou, ontem, Terça-feira, no Huambo, a incorporação na Polícia Nacional de um efectivo mais jovem, para substituir o elevado número de agentes em idade de reforma. Segundo o comunicado final do evento, os comandos provinciais de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cuanza-Sul e Huambo são os que mais precisam de ser rejuvenescidos, tendo em conta o número de agentes que, apesar da idade e de terem atingido o tempo de serviço, ainda se encontram em actividade.

Os participantes realçaram que a indicação de oficiais especializados em ciências policiais permite responder e implementar novas abordagens às preocupações de segurança pública, assim como a implementação do Projecto “Nossa Esquadra” nas províncias do centro do país, com vista a melhorar os procedimentos de atendimento nos piquetes.

Defendem, também, a mobilização de meios técnicos e humanos em quantidade e qualidade suficiente para a adaptação do policiamento de proximidade às áreas limítrofes da região centro do país, como ferramenta principal para mediação, resolução de conflitos e mesmo para o controlo operacional.

Ao discursar no encerramento do evento, aberto Segunda-feira, a governadora do Huambo, Joana Lina, disse que a população deve, inevitavelmente, juntar-se aos órgãos do Estado vocacionados para a segurança pública, sobretudo no que toca à prevenção e mitigação da criminalidade, da sinistralidade rodoviária e outros fenómenos que concorrem para a instabilidade das pessoas e bens.

De igual modo, referiu-se à necessidade imperiosa dos órgãos do Estado juntarem sinergias neste sentido. A II conferência científica, na qual participaram 300 responsáveis de polícias das províncias do Huambo, Benguela, Bié, Cuando Cubango e Cuanza-Sul serviu para caracterizar o actual contexto de segurança pública na Região Centro do país, identificar a importância das políticas públicas de segurança local e abordar o papel das comunidades na garantia da segurança regional.

Durante a conferência, foram analisados temas como “A caracterização da situação de segurança nas províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cuanza- Sul e Huambo”, “A Polícia Nacional na implementação de políticas de segurança pública local”, “O papel da justiça no sistema de segurança pública” e “O velho e novo processo penal angolano”.

Em funcionamento desde 2016, o Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC) outorgou, até ao momento, 642 diplomas de licenciados a igual número de polícias angolanos e de outros países africanos, com realce para os de expressão portuguesa.

leave a reply