Putin afirma que não houve nada de comprometedor na conversa entre Trump e Zelenski

Acusações de que o Presidente dos EUA, donald Trump, pressionou o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky (e), desencadearam uma investigação de impeachment - AFP

Vladimir Putin saiu em defesa, nesta Quarta-feira, do Presidente norteamericano Donald Trump, acusado de pressionar o chefe de Estado ucraniano a eliminar um rival político, garantindo que não viu nada de “comprometedor” na conversa entre os dois líderes. “Não houve nada comprometedor na conversa entre Trump e (o Presidente ucraniano Volodimir) Zelenski”, disse Putin sobre o telefonema realizado pelo inquilino da Casa Branca, agora ameaçado de impeachment. “O Presidente Trump recorreu a um colega para pedir a investigação de uma possível corrupção ligada a membros do Governo anterior”, disse Putin, que participava num fórum sobre energia em Moscovo.

“Qualquer chefe de Estado teria feito o mesmo”, acrescentou ao falar sobre a conversa, cuja transcrição foi divulgada pela Casa Branca depois de um denunciante ter revelado que Trump havia pedido ao seu colega que investigasse um possível caso de corrupção na Ucrânia que poderia afectar o ambiente do ex-vice-presidente democrata Joe Biden. Biden é o democrata melhor colocado para competir com Trump nas eleições presidenciais do próximo ano. Os democratas decidiram na semana passada lançar um processo de impeachment contra Trump.

error: Content is protected !!