“A Saúde e a Edução constam nas nossas prioridades”

A Administração do Mussulo reconhece que faltam escolas e mais centros de saúde, assim como melhorias no fornecimento de energia e de água. A solução para estes problemas está para breve, como assegura Mário Sócrates Vigário, mas não avança datas. A recolha dos resíduos sólidos é outra preocupação

 

Quais são os planos escritos no PIIM que serão implementados a nível do Mussulo?

A Administração do Mussulo não está inscrita em nenhum dos projectos do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), mas acreditamos que nos próximos programas estará. Temos alguns projectos a nível dos privados, do Governo Provincial e da Administração Municipal que são a nível social e técnico para apoiar alguns serviços na comuna.

Sabe dizer qual será o valor alocado à península para serem tratados esses projectos? Não podemos falar de valores, porque a comuna do Mussulo não é orçamentada. Nós dependemos da Administração Municipal, por isso não existe quota financeira com relação a isso. Quiçá, quando a comuna do Mussulo se elevar a distrito ou tiver um estatuto especial, como é em toda a parte do mundo onde toda a península tem um plano especial, é que será orçamentada. Sabemos também que, para a península do Mussulo, está a ser criado um plano director. Em função desse plano pode-se gizar alguns planos específicos para este fim.

Apuramos que uma das grandes necessidades dos habitantes é a falta de escolas e hospitais. Quantas escolas e hospitais vocês prevêem construir nos próximos três anos?

A: Neste momento existem 5 escolas em funcionamento em toda a comuna e está a ser contruída uma escola no Bairro do Buraco para acudir à necessidade do ensino naquela circunscrição. A nível da saúde, não estamos muito bem. O mesmo a nível do país. Mas sabemos que existe um esforço muito grande por parte do Governo Provincial e do município. Nós temos tido algum apoio da Direcção Municipal da Saúde que tem dado, mediante as suas possibilidades, apoio institucional, medicamentoso e de algumas feiras de saúde minimizar as deficiências que nós temos a nível da nossa comunidade. Por outra, a nível da Administração Comunal e do Plano Director do Mussulo, serão implementadas algumas infras-estruturas e equipamentos médicos, porque isso faz parte do programa do Executivo.

No domínio da energia e água, quais são os projectos que vocêstêm para a comuna do Mussulo?

Sobre a energia, teremos a felicidade de estabelecer o fornecimento para o Bairro do Buraco. Não vamos avançar a data, será para breve. A nível da administração local, temos recebido alguma documentação de certas empresas que querem implementar os serviços de energia renovável. Nós estamos abertos. As propostas estão em estudo. As melhores serão conduzidas para as instâncias superiores para darem o devido tratamento.

Como é que está a ser feito o registo civil? Quantas pessoas é que não estão registadas e qual é a vossa meta de registos?

Dentro de um trabalho conjunto com o Ministério da Justiça, temos uma meta de 6 mil pessoas para registar. Actualmente estamos já pela metade. Já registamos perto de três mil cidadãos.

A falta de transportes constitui uma das preocupações dos habitantes. Como resolver este problema?

Existem transportes, mas são privados. Estou a falar das chatas e dos barcos. Tínhamos transportes públicos, os Catamaram, que, por problemas de combustível e da empresa que estava a fazer a sua gestão, foram suspensos.

Os habitantes dizem que a vida aqui é muito cara. Quais são as razões que estão na base deste problema?

Temos conhecimento disso. Já orientamos a secção da fiscalização para trabalhar e averiguar essa situação, mas sabemos que muitos alegam que sobem o preço por causa da travessia. Mas, a nível da fiscalização vamos ver a melhor forma e as actividades económicas para poder actuar. Sabemos que no Mussulo existem muitos resorts.

Como é que se faz o tratamento dos resíduos sólidos aqui?

Com relação ao tratamento dos resíduos sólidos, temos uma empresa contratada pelo Governo da província, que é a empresa Vista, é esta que tem a responsabilidade de fazer a gestão e a recolha. Nas reuniões que temos tido com os coordenadores de alguns bairros, orientamo-los a identificarem alguns pontos onde a população coloca os resíduos para a Vista fazer a recolha. Com relação aos resorts, dos 33 existentes, apenas três celebraram contrato para recolha do lixo. É essa informação que nos foi passada pela empresa Vista.

error: Content is protected !!