O editorial:Gestão de silêncios

Jornal OPaís edição 1616 de 04/10/2019

A Gestão de silêncios para tirar dividendos é uma arte que muito pouca gente domina. Obriga a uma visão panorâmica das circunstâncias, do lugar e das expectativas e do que outros poderão estar a pensar, não serve apenas para ganhar tempo e muito menos para ganhos imediatos, tanto mais que isso conduz sempre ao desastre. A gestão de silêncios deve sempre considerar o antes, o agora e o depois, mas tem sempre a porta aberta para a revelação imediata mal as circunstâncias o exijam, não apenas para limitar danos, mas também para potenciar ganhos. Não é o que se passa em Angola. Temos dois exemplos que caminham para o desastre em termos de imagem: o do Bairro dos Ministérios, de que não há um pronunciamento oficial e definitivo quanto à sua continuidade, ou não, e o caso do juiz-presidente do Tribunal Supremo, de que se diz ter renunciado. O “não comento” das autoridades é um disparate sem par. depois virá o troco.

leave a reply