Angola e Nigéria decidem liderança no Africano

A Selecção Nacional de futebol com muletas e a Nigéria, já apuradas para a outra fase, no Africano que decorre em Benguela, discutem hoje o primeiro lugar

Mário Silva, enviado a Benguela

Ao vencer ontem a Tanzânia por 4-0, Angola e a Nigéria decidem hoje a liderança da 5ª edição do Campeonato Africano de futebol com muletas, que decorre em Benguela, no Estádio São Filipe, às 16:00. Com o passe garantido para as meias-finais e dez pontos para cada uma, só a vitória interessa. Por isso, a vantagem recai teoricamente nos angolanos por estarem a jogar em casa e diante do seu público. Pela dimensão do desafio, os pupilos de Augusto Baptista “Chieto” asseguraram que não darão facilidades ao adversário. Deste modo, concentração e capacidade serão os aspectos a ter em conta, porque os nigerianos mostraram que estão na prova para ganhar. Por sua vez, Celestino Elias, melhor jogador do mundo, admitiu que não será uma partida fácil, mas o grupo está moralizado e sabe o que fazer quando rolar a bola no São Filipe.

“Terminar em primeiro lugar é o nosso objectivo, porque queremos chegar à outra fase mais motivados ainda”, disse o eleito melhor jogador do mundo no México no ano passado. Voz dos treinadores O técnico do combinado angolano, Augusto Baptista, disse que o embate desta tarde será bastante complicado, porque os nigerianos estão a praticar um bom futebol. “Não podemos ignorar a equipa adversária, ou seja, se ocupam a segunda posição é porque têm alguma qualidade”, avisou o timoneiro angolano. Por outro lado, o técnico da Nigéria, Victor Nwenwe, prometeu manter a mesma dinâmica de jogo utlizada nas partidas anteriores. Victor Nwene disse que estão preparados para surpreender os angolanos na cidade de Benguela.

Desporto adaptado em Benguela carece de apoio

O presidente da Associação Provincial de Benguela (CPB) para desporto adaptado, José Pontes, revelou ontem a este jornal que os paralímpicos carecem de apoio das autoridades locais. José Pontes explicou que o desporto adaptado conta somente com o apoio do Comité Paralímpico Angolano (CPA), orgão presidido por por Leonel da Rocha Pinto. Por esta razão, os campeonatos provinciais de futebol, atletismo e basquetebol em cadeiras de rodas têm sido realizados com alguma regularidade. “Na verdade temos tido várias dificuldades para concretizar aquilo que são os nossos projectos. Aproveito a oportunidade para pedir ao empresariado local ajuda para o desporto adaptado a manter-se vivo”, pediu José Pontes. O dirigente associativo espera que o Campeonato Africano das Nações seja uma forma de sugerir mais apoios para este desporto, uma vez que tem dado muitas alegrias para o país de Cabinda ao Cunene.

 

error: Content is protected !!