Nove meses depois da saída de Chivukuvuku CASA-CE mantem-se “coesa”, afirma secretário nacional executivo

Nove meses depois de Abel Chivukuvuku ter sido destituído da liderança da coligação CASA-CE, o secretário nacional executivo da organização, Rafael Aguiar, referiu que a organização partidária contínua coesa e firme para enfrentar os desafios políticos das eleições gerais e autárquicas previstas para o próximo ano de 2020.

Maria Custódia

Rafael Aguiar, assegurou ontem, a OPAÍS, que o processo de reconciliação no seio da coligação está completamente concluído e em pouco tempo, aqueles que já pertenciam aos partidos coligados, os independentes e os novos membros, conseguiram encontrar uma plataforma de convivência que concorre acima de tudo, para a satisfação dos interesses do Estado e da nação. “O processo de reconciliação no seio da coligação está completamente ultrapassado. Estamos coesos e firmes para enfrentar os desafios políticos das eleições gerais em 2022 e as eleições autárquicas em 2020”, disse o responsável O político acrescentou que a coligação continua a ter militantes independentes, tal como ele, que não aderiu a nenhum partido, o seu presidente e outros membros que continuam naquela condição. Considera que há círculos muito restritos dentro da coligação que defendem que todos devem estar inseridos nos seis partidos coligados. Avançou também haver círculos maioritários na CASA-CE que admitem que as coisas devem acontecer a seu tempo. Para ele, o mais importante é a vontade que têm de continuar a trabalhar. Manifestou ainda que um dos desafios da coligação foi o passo dado para o processo de implantação das estruturas da CASA-CE em todas as comunas, distritos e bairros do país, a revitalização dos núcleos de acção política, o processo de formação política e ideológica que teve como fundamento transmitir os princípios e valores da coligação, e o programa de Governo caso vençam as eleições gerais em 2022.

Apelo ao Governo

Rafael Aguiar compreende haver a necessidade de se continuar a pressionar o Governo para que, a par das medidas macropolíticas e macroeconómicas que trazem alguma esperança, sejam executadas também medidas que possam reverter o quadro, de modo a retirar imediatamente o povo da extrema pobreza, da fome, da miséria, das dificuldades extremas. Para ele, a classe média está a ficar extremamente pobre.

“Perfil do autarca”

Segundo Rafael Aguiar, a CASA- CE está também empenhada na questão das autarquias locais, e já elaborou o guião e o perfil do candidato pelas suas fileiras. Para ele, o “perfil do autarca” exige que seja uma pessoa idónea, conhecida no município em que reside, alguém que se dedica para a solução dos problemas do município mesmo com os seus parcos meios de forma individual. Acrescentou ainda que deve ter conhecimentos básicos sobre gestão, administração de políticas públicas, uma pessoa que não vai contra os princípios plasmados na Constituição, que não tenha um cadastro negativo, alguém que esteja inteiramente comprometido para combater a corrupção e o nepotismo. Disse ainda que deve ser alguém disponível para promover uma gestão transparente, comprometido com a participação activa das populações locais na elaboração, discussão, aprovação, execução e fiscalização das políticas públicas da autarquia.

União na coligação

Encoraja os seus companheiros a estarem unidos com a direcção da CASA-CE, focados em torno dos objectivos, trabalhando arduamente para se empenharem nas comunas, distritos e contribuir para a reconstrução do país. Com os pilares da transparência, democracia, legalidade, anti-corrupção, anti-nepotismo e que tudo venha a concorrer para a satisfação das necessidades da população.

 

 

 

error: Content is protected !!