PR assina despacho que aprova a construção de barragens no Cunene

Os esforços que o Governo angolano tem empreendido para fazer frente ao impacto da seca na província do Cunene acabam de conhecer uma etapa decisiva, com a conclusão do Concurso Público para a implementação de um conjunto de projectos estruturantes, nomeadamente a construção de barragens, sistemas de captação de água e canais adutores

 

Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, assinou o despacho que aprova os contratos resultantes do referido concurso, o que dará lugar ao início da concretização de seis empreitadas cujo fim último é a solução, com respostas estruturantes, do cíclico problema da seca naquela província do Sul do país.

Um comunicado da Secretaria para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa do Presidente da República, enviado ontem a OPAÍS, entre as várias obras a serem executadas em vários lotes destacam-se a construção do Sistema de Captação no Rio Cunene, Bombagem, Conduta Pressurizada, Canal Aberto a partir da localidade de Cafu até ao Cuamato, e 10 chimpacas. Essas obras serão executadas pela empresa Sinohidro Angola no valor de Vinte e um Mil Milhões, Quatrocentos e Sessenta e Nove Milhões, Cento e Trinta e Nove Mil, Oitocentos e Oitenta Kwanzas e Sessenta e Dois Cêntimos, equivalente em dólares norte americanos a Sessenta e Cinco Milhões, Setecentos e Um Mil, Duzentos e Setenta e Quatro Dólares e Oitenta e Cinco Cêntimos. Segundo o documento, a Sinohydro Angola vai também construir o Canal Adutor a partir de Cuamato até Dombendola; canal adutor a partir de Cuamato até Namacunde, e 20 chimpacas, e vai custar aos cofres do Estado Vinte e Dois Mil Milhões, Oitocentos e Oitenta e Nove Milhões, Duzentos e Vinte Mil, Setecentos e Setenta e Um Kwanzas e Noventa e Nove Cêntimos, equivalente em dólares norte-americanos a Setenta Milhões, Quarenta e Sete Mil, Novecentos e Noventa e Nove Dólares e Oitenta e Cinco Cêntimos.

Barragens

Ainda para a construção destas empreitadas, o consórcio Omatamaplo- Engenharia e Construção,SA e  a Mota-Engil Angola, SA vi construir a Barragem em Calucuve, no valor de Cinquenta e Sete Mil Milhões, Oitocentos e Cinquenta Milhões, Oitocentos e Quarenta e Sete Mil, Oitocentos e Cinquenta e Sete Kwanzas e Doze Cêntimos, equivalente em dólares norte-americanos a Cento e Setenta e Sete Milhões, Trinta e Oito Mil, Novecentos e Setenta e Dois Dólares e Cinco Cêntimos.

A empresa China Road Bridge Corporation vai executar o Canal Adutor associado à Barragem de Calucuve, a partir da localidade da Mupa até Ondjiva, e está orçado em Vinte Mil Milhões, Quinhentos e Sessenta e Nove Milhões, Seiscentos e Doze Mil, Quinhentos e Setenta Kwanzas, equivalente em dólares norte-americanos a Sessenta e Dois Milhões, Novecentos e Quarenta e Oito Mil, Quatrocentos e Oitenta e Dois Dólares e Dezassete Cêntimos; A Sinohydro Angola vai ainda construir a Barragem em Ndúe, no valor de Sessenta e Dois Mil Milhões, Setecentos e Cinquenta e Sete Milhões, Oitocentos e Sessenta e Seis Mil, Oitocentos e Noventa e Seis Kwanzas e Vinte e Dois Cêntimos, equivalente em dólares norte-americanos a Cento e Noventa e Dois Milhões, Cinquenta e Cinco Mil, Setecentos e Cinquenta e Quatro Dólares e Sessenta e Sete Cêntimos.

Já o Canal Adutor associado à Barragem de Ndúe, a partir de Ndúe até Embundo, e 15 Chimpacas, estarão a cargo da empresa GHCB, no valor de Vinte e Dois Mil Milhões, Quatrocentos e Quarenta e Um Milhões, Setecentos e Noventa e Quatro Mil, Seiscentos e Setenta Kwanzas e Treze Cêntimos, equivalente em dólares norte- americanos a Cento e Noventa e Dois Milhões, Cinquenta e Cinco Mil, Setecentos e Cinquenta e Quatro Dólares e Sessenta e Sete Cêntimos. No despacho sobre a matéria, o Presidente da República autoriza o Ministro da Energia e Águas a celebrar os contratos, com a faculdade, entretanto, de este poder subdelegar tal poder. Competirá ao ministro das Finanças assegurar os recursos financeiros necessários à implementações dos projectos, refere o comunicado.

error: Content is protected !!