Trocas Comerciais entre Angola/ Emiratos Árabes Unidos registaram kz 237 mil milhões

As trocas comerciais entre Angola e os Emiratos Árabes representam um valor aproximado de kz 237 mil milhões, sendo que Angola importa produtos no valor de kz 160 mil milhões e exporta kz 68 mil milhões

Por:Patrícia de Oliveira

Criada há dois meses, a Câmara de Comércio e Indústria Angola/ Emiratos Árabes Unidos (CCIA-UAE) é uma plataforma que visa estreitar o network entre os empresários dos dois países e tem como objectivo fortalecer o intercâmbio comercial. A iniciativa conta com o apoio de ambos os governos. De acordo com o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Angola/Emiratos Árabes Unidos (CCIA-UAE), Vando Matias, com o surgimento desta unidade empresarial pretende-se dinamizar a cooperação económica, realizando missões empresariais e conferências. Segundo o responsável, as trocas comerciais entre os dois países representam um valor aproximado de 237 mil milhões de kwanzas, um valor reduzido, em função do potencial que os países possuem em termos de produtos para exportar.

“A Câmara realizará um trabalho para aumentar a quantidades de produtos nacionais a serem exportados para os Emiratos Árabes Unidos e atrair investimentos para o país. Neste momento, existem quatro empresas dos Emirados Árabe Unidos a operar no país, nomeadamente nos sectores da indústria, agricultura, tecnologia e aviação, entretanto, o número poderá aumentar, em função do interesse de muitas empresas daquele país Árabe para entrar no mercado angolano”, explica. Questionado sobre os produtos que são exportados de Angola para os Emiratos, referiu que o principal item é o diamante e tem um potencial grande. Contudo, estão a ser negociadas empresas do sector mineiro para exportar mármore e granito e, no sector da agricultura para exportar essencialmente frutas. Ressaltou também que o Médio Oriente depende de produtos provenientes do agro-negócio e Angola tem potencial nesta área.

Já os Emiratos Árabe Unidos exportam para Angola viaturas, assessórios para a indústria do sector alimentar que opera no país e reitera a intenção de investir em infraestruturas diversas, na agricultura na indústria. “Os empresários angolanos que operam nos Emiratos Árabes Unidos, a sua maioria tem negócios ligados ao trading e a operações financeiras. No entanto, pretendemos influenciá-los no sentido de os mesmos poderem diversificar essas actividades. A câmara de comércio tem registados 19 empresários naquele país”, disse. Vando Matias ressaltou que está em curso a negociação de uma linha de financiamento para os sectores da agricultura e da indústria.

Por outro lado, também está a ser implantada uma linha de montagem de tractores na Zona Económica Especial de Luanda (ZEE) e empresários daquele país podem tornarse nos novos investidores numa fazenda no município da Quilaba, na província do Cuanza-Sul, propriedade que, à partida, pode gerar muitos postos de empregos. Sobre a comunidade angolana nos Emiratos Árabes, o responsável avançou que ainda é reduzida:

Em 2017 eram aproximadamente 100 angolanos e esse número terá reduzido para metade, todavia, muitos não estão inscritos e nem registados, pelo que a Câmara de Comércio está a trabalhar com o consulado para apurar a realidade. Para o empresário e responsável da Câmara de Comércio Angola/ Emiratos Árabes Unidos, as actuais reformas que o Executivo angolano está a implementar e que visam criar um ambiente de negócios favorável reforçam cada vez mais o interesse dessas empresas.

A Câmara de Comércio Angola e os Emirados Árabe Unidos pretende trabalhar com os dois governos para que as metas estabelecidas e os programas de cooperação sejam alcançados o mais rápido possível. A Câmara de Comércio Angola e / Emiratos Árabe Unidos formam uma plataforma que visa estreitar o network entre os empresários dos dois países e tem como objectivo fortalecer o intercâmbio comercial. A iniciativa conta com o apoio de ambos os governos e uma classe empresarial notável.

Expo dubai 2020

A Expo Dubai 2020 vai contar com a presença de Angola, que estará representada por diversas empresas dos mais variados sectores. Há muita expectativa da classe empresarial dos Emiratos Árabes para receber a delegação angolana. “Faremos de tudo para levar o máximo de empresas à edição da Expo 2020, que tem uma duração de seis meses e teremos esse período para mostrar a nova Angola com inúmeras oportunidades”, disse.

error: Content is protected !!