Executivo “acelera” ritmo da Angola-Telcom rumo à privatização

Presidente angolano, João Lourenço, nomeou ontem Adilson Miguel dos Santos presidente do conselho de administração da Angola-Telecom, com o mandato expresso de capitalizar a empresa de telecomunicações e conduzi-la à privatização. Antes da nomeação do actual Conselho de Administração, a empresa estatal de telefonia fixa e prestação de serviços de Internet, Angola Telecom-EP, era gerida por uma Comissão de Gestão Interina.

João Lourenço assinou e fez publicar um decreto “a nomear um novo conselho de administração para a empresa Angola-Telecom- EP, em resultado da conclusão do processo de reestruturação desta, com a finalidade de viabilizar a sua capitalização e de dotá-la de condições de atratividade tendo em vista a sua posterior privatização”, anuncia a Presidência angolana, numa nota distribuída à imprensa.

Com Adilson Miguel dos Santos, foram também nomeados para o novo conselho de administração da Angola-Telecom outros quatro administradores, nomeadamente Miguel Cazevo, António Sercal; Mandela Nsito Barros e Inocência Natália dos Santos. A Angola Telecom é uma empresa de telecomunicações e multimédia fundada em 1992, a partir da fusão das empresas estatais Empresa Nacional de Telecomunicações (ENATEL) e Empresa Pública de Telecomunicações (EPTEL).

Angola conta actualmente com três operadoras de telecomunicações. A Unitel lidera o mercado, com cerca de 80% de quota, à frente da Movicel, que tem um peso de cerca de 20% e a Angola Telecom com uma posição residual. O Governo angolano abriu, entretanto, no final de Setembro uma nova fase de candidaturas para atribuição de uma quarta licença a uma operadora de telecomunicações, que decorre até ao dia 08 de Novembro, depois do primeiro concurso, lançado em Novembro de 2017, ter sido anulado.

error: Content is protected !!