Nova fábrica de lacticínios começa a produzir a partir do próximo mês

Denominada Gulkis, a unidade industrial pertencente ao grupo com o mesmo nome está localizada na Zona Económica Especial (ZEE) e tem a capacidade de produzir 70 mil litros de leite líquido e 70 toneladas de leite condensado por dia

A unidade industrial presente no mercado desde 2018, está vocacionada para a produção de produtos como o leite condensado, leite líquido, iogurte, natas, leite de côco e farinha de trigo. Segundo o administrador executivo do grupo Gulkis, Sagar Mukhida, que falou ontem em exclusivo aOPAÍS no âmbito da quarta edição da Expo-Indústria, que se realiza na Zona Económica Especial de Viana (ZEE), neste momento a unidade fabril produz de forma experimental.

Apesar disso, a empresa tem a intenção de colocar os seus produtos a partir do próximo mês no mercado nacional e iniciar a produção em grande escala em 2020. O empresário explicou que o equipamento para a instalação da fábrica é proveniente de França. Para o empresário, a capacidade instalada de 100 mil litros de leite líquido e 25 mil litros de leite condensado por dia, é suficiente para abastecer o mercado interno e não só. Indo mais além, explicou que a empresa tem em carteira o projecto de exportar os seus produtos para alguns países vizinhos, como a República Democrática do Congo e a Namíbia. Isto, sem esquecer que prevê igualmente a produção de alguns produtos da cesta básica como o arroz, a massa alimentar, açúcar e tomate concentrado. A fábrica será também responsável pela produção de material para transporte de produtos como latas e embalagens.

“É a primeira na produção de leite condensado no país e também ao nível da Africa Central”, disse Sagar Mukhida avança que a grande dificuldade, actualmente, tem sido a aquisição de divisas para a aquisição de matériaprima. Até ao momento, a fábrica já criou mais de 200 postos de trabalho dos quais 180 para nacionais. A empresa expõe pela primeira vez na quarta edição da Expo-Indústria, aberta ao público desde anteontem na Zona Económica, no sentido de dar a conhecer os seus produtos ao público em geral. A Expo-Indústria, com mais de 300 expositores, é uma parceria entre o Ministério da Indústria e a Eventos Arena, e conta com empresas nacionais dos sectores de produção de cereais, carnes, algodão, tabaco, açúcar, cerveja, cimento, madeira e mobiliário. Acolhe também empresas dos sectores de refinação de petróleo, pneus, fertilizantes, celulose, vidro, aço, sabão, sal, enchidos, lacticínios, sumos, refrigerantes, água mineral, tintas e vernizes, papel, cartão plástico, varões de aço e material de construção civil. Participam no evento empresas das províncias do Bengo, Benguela, Namibe, Huila, Cuando

error: Content is protected !!