Adolescentes motivados para uma visão positiva do futuro

Foram várias as mulheres com notoriedade profissional que partilharam, ontem, na Casa da Música, em Luanda, as suas experiências, desafios e conquistas pessoais com os mais jovens para uma visão positiva do futuro

O Gabinete da Primeira Dama da República, Ana Dias Lourenço, realizou ontem, em Luanda, um encontro motivacional com adolescentes, dos 14 aos 20 anos, sob o lema “Escolhe Hoje o Que Serás Amanhã”. A Primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, explicou que o evento teve como principal objectivo transmitir aos jovens a esperança de uma visão positiva do futuro. “Nós pensamos hoje, com a presença de algumas pessoas que aqui estão, que podemos também nos inspirar para que vocês possam fazer escolhas acertadas sempre, seguindo aquilo que vocês sonham e querem ser no futuro. Aquilo que gostariam de dar como contributo ao país”, disse aos jovens. O encontro visou igualmente influenciar os adolescentes no sentido de se inspirarem no seu percurso como agentes de mudança e promoverem a paridade do género em relação aos rapazes. Ana Dias Lourenço explicou que se precisa transmitir algumas informações fundamentais para o futuro das crianças e jovens, uma vez que estão a crescer e quando estiverem adultos precisarão de ter conhecimentos e regras. Em seu entender, por vezes, não basta que lhes sejam transmitidos valores no seio familiar ou na escola.

“Portanto, é preciso que toda a sociedade contribua e faça alguma coisa para mostrar o caminho certo da convivência social aos nossos jovens e nossas meninas”, frisou.

Raparigas são tão importantes quanto os rapazes

Por sua vez, a pesquisadora sénior do Centro de Desenvolvimento Global (Fundação das Nações Unidas), Mayra Buvinic, que também deu a sua experiência debruçando- se sobre o “Empoderamento Económico da Jovem Mulher”, realçou ser muito importante saber que as raparigas são tão necessárias quanto os rapazes. A pesquisadora explicou que o empoderamento, a nível de África tem um activo muito importante, comparativamente com os outros países, pelo facto, de as mulheres sempre trabalharem. “Em termos de participação da força de trabalho, se observarmos globalmente veremos que elas têm uma presença muito marcante, principalmente na questão da agricultura”, afirmou. Questionada sobre se as mulheres em África ainda constituem o grupo mais pobre, disse que isso se deve ao facto de elas não terem acesso aos recursos, o que deve ser alterado. “É por isso que as formas como os serviços são alocados devem ser mudados ,porque nós temos que incentivar em empoderar as mulheres a estar no mercado de trabalho da forma como os homens também estão”, disse. Como exemplo, disse que na Tanzânia existe um projecto financiado pela Fundação da ExxonMobil, em que providenciaram Poupança Móvel para as mulheres empreendedoras, porque os bancos geralmente não priorizam as mulheres nos seus serviços. Razão pela qual, a fundação e se foca nas mulheres empreendedoras.

“Procuramos indirectamente passar valores como integridade

Já a ministra das Finanças, Vera Daves, que contou o seu percurso profissional e casos de sucesso. Disse que uma das dificuldades que enfrentou, como mulher, foi o equilíbrio entre família e trabalho, por ser uma equação difícil. Contou ainda que há sacrifícios que as mulheres têm de consentir. “Trabalhamos muitas horas e temos menos tempo para a família. Então, temos que sensibilizar os nossos parceiros (a) por um bem maior sem sacrificar a família”, disse. E para que os jovens tenham uma visão positiva, Vera Daves explicou que para que essa contribuição seja efectiva precisam de desde cedo inspirá-los, partilhando experiências e os desafios que tiveram para chegarem onde estão e o como devem ser as suas defesas ao longo da caminhada. “Procuramos indirectamente passar valores como integridade, dedicação, empenho, para que quando as dificuldades vierem não esmoreçam. Continuem lutando e quando caírem se levantem para que no final do dia cada uma, na sua área de especialidade, faça a diferença e faça nossa Angola crescer”, transmitiu. Entre adolescentes, apenas 30 por cento dos participantes eram rapazes. O evento reuniu mulheres com notoriedade profissional que partilharam as suas experiências, os seus desafios e conquistas pessoais para uma visão positiva do futuro. A actividade que juntou várias personagens, entre assistentes sociais, educadoras, bombeiras, cientistas, entre outros, contou com o apoio da ExxonMobil. vi rgílio pinto seu suplemento diário de lazer e cultura cartaz

error: Content is protected !!