Angola vence Campeonato Africano de futebol com muletas

A Selecção Nacional conquistou ontem a medalha de ouro ao vencer a Nigéria na final por 2-0, no Estádio São Filipe, na província de Benguela

Angola conquistou ontem o C amp e o n a t o Africano de futebol com muletas que a província de Benguela acolheu. A Selecção Nacional, orientada por Augusto Baptista “Cheto”, bateu a Nigéria por duas bolas a zero.

No tapete verde do Estádio São Filipe, os angolanos mostraram e provaram que são realmente campeões do mundo com todas as letras. Assim, o único troféu que faltava na galeria do Comité Paralímpico Angolano (CPA), liderado por Leonel da Rocha Pinto, ocupa o seu lugar. Ontem, a selecção da Nigéria foi a primeira a criar perigo junto da baliza defendida por Lilito, com um remate de Sarafadeen.

O mesmo silenciou por completo os milhares de adeptos no histórico Estádio São Filipe. Mas, o combinado angolano respondeu com um livre na entrada da grande área dos nigerianos. Porém, inaugurou o marcador por intermédio de Sabino António, aos três minutos, golo madrugador. Os nigerianos não esperavam. Volvidos nove minutos, Sabino António, autor do tento que deu vitória da Selecção Nacional nas meias-finais, frente à Libéria, ampliou o resultado para duas bolas a zero.

Depois do primeiro quarto de hora, o treinador da Nigéria mexeu no seu xadrez. Tirou o Umaru e para o seu lugar colocou de Chinemeremu com o objectivo de travar o ímpecto ofensivo dos angolanos. A dois minutos do intervalo, o treinador Augusto Baptista “Cheto” apercebeu-se que os nigerianos estavam a subir no terreno, devido à quebra física do médio ofensivo Sabino António. Entrou para o seu lugar o polivalente Hilário Kafula. Neste quesito, Augusto Baptista foi feliz, porque os compatriotas de Kanu foram obrigados a baixar as linhas, sob pena de sofrer o terceiro golo. Deste modo, a primeira parte terminou com a Selecção Nacional a dominar o desafio sem qualquer rodeio. No reatamento da partida, os Palancas Negras mantiveram a mesma dinâmica, o que complicou a manobra ofensiva do adversário. Mas, Adão, Hilário Kafula e companheiros encontravam algumas dificuldades para voltar violar as redes do “kipper” Blessing Agu, volvidos alguns minutos terminou a partida e os angolanos festejavam nas bancadas.

“O segredo do sucesso está no trabalho”

O treinador da Selecção Nacional de futebol para amputado, Augusto Baptista “Cheto”, revelou que o segredo da vitória está no trabalho e no apoio que o Comité Paralímpico Angolano (CPA) tem dado aos bravos rapazes. “Estamos de parabéns por fazer o pleno, ou seja, somos campeões mundiais e africanos, mas o trabalho não pára por aqui”, disse Augusto Baptista Cheto.

Por sua vez, o defesa central Celestino Elias, eleito melhor do mundo e agora também melhor de África, mostrou-se satisfeito e espera que o apoio ao desporto adaptado continue. Para o internacional angolano, não foi fácil chegar à final e vencer, porque os adversários são duros de roer. Ainda assim, a dedicação e o trabalho nos levaram a uma conquista importante, porém vamos continuar a trabalhar para manter os níveis competitivos dentro e fora do continente africano no futebol com muletas.

error: Content is protected !!