O editorial:Há um responsável que finge não ser

Jornal OPaís edição 1624 de 12/10/2019

Vinte e oito mil enfermeiros exercem ilegalmente a profissão no país, segundo a vicepresidente da Ordem dos Enfermeiros de Angola (Ordenfa), Ana Maria Pascoal, nesta Sexta-feira, em Ndalatando, Cuanza-Norte.

A média nacional, portanto, é de pouco mais de mil e quinhentos e cinquenta e cinco enfermeiros ilegais por província. Sabendo nós das dificuldades que algumas províncias e alguns municípios têm para reter quadros, pode-se deduzir que há comunidades inteiras entregues a enfermeiros ilegais ou falsos enfermeiros. E, pior, muitos destes enfermeiros fazem o papel de médicos porque são os únicos presentes nestas comunidades. Há em Angola coisas que se avolumaram porque o Estado permitiu, o Estado tem de responder por elas.

error: Content is protected !!