Vida e Obra do escritor e etnomusicólogo Jorge Macedo em debate na Maka à 4ª Feira da UEA

No debate, que será antecedido por um acto cultural, os jovens literatos apresentarão depoimentos sobre a vida do autor de “Vozes de Tambarino”, ao que se seguirá o Momento de Trova com o grupo musical Raízes, segundo relatos da organização.

Augusto Nunes

“A Vida e Obra”, do escritor, jorna l i sta, etnomus icólogo e investigador Jorge Macedo, antigo quadro sénior do Ministério da Cultura, será levada a debate na próxima edição da Maka à 4ª Feira, da União dos Escritores Angolanos em Luanda.

O evento, a decorrer no Jango da maior casa das letras do país, juntará familiares, escritores, estudantes e jovens literatos, que apresentarão depoimentos sobre a vida do autor, ao que se seguirá um momento de trova, com o grupo musical Raízes.

O debate, com a prelecção do também escritor Adriano Botelho de Vasconcelos, antigo secretário- geral da UEA, visa assinalar o septuagésimo aniversário do escritor e etnomusicólogo, nascido a 14 de Outubro de 1941 na província de Malanje, tendo falecido a 26 de Setembro, de 2009 em Luanda.

A cerimónia a que se juntarão também outras figuras públicas da nossa sociedade, tem ainda como objectivo contribuir para a promoção e divulgação da literatura angolana.

Percurso

Nascido em 1941, na cidade de Malanje, Jorge Mendes Macedo fez os estudos primários e secundários na sua cidade natal. Educado nos seminários, frequentou os seminários Menor e Maior de Luanda até ao curso de Filosofia. Formou-se em etnomusicologia pela Universidade de Kinshasa. A primeira actividade profissional que desenvolveu foi a de regente escolar, tendo ingressado em seguida na carreira administrativa. Após a Independência de Angola, desempenhou vários cargos no Ministério da Cultura, entre os quais o de director nacional de Arte e director nacional da Escola de Música. Integrou, também, os júris do Prémio Nacional de Cultura e Artes e do Carnaval de Luanda. Em Lisboa, Macedo dirigiu, como jornalista, a Revista Afro-Letras da Casa de Angola em Portugal. Usou também o nome literário de Mário Samba, publicou o seu primeiro livro em 1966, “Tetembu”, ao que se seguiram outros, que vão desde a poesia até ao romance, passando pelo ensaio e contos, tais como: “As Mulheres” (1970), “Gentes do Meu Bairro” (1977), “Geografia da Coragem” (1978), “Literatura Angolana e Texto Literário (1989) e “O Menino com Olhos de Bimba” (1999).

Geração de 60

A sua obra marcou a transição da geração de 60 e 70, o que, segundo os críticos, pode estar na origem dos vários géneros literários presentes na sua escrita e nas diferentes manifestações culturais a que está associada. A sua escrita exprime também um sentimentalismo ferido pelo sofrimento dos angolanos em consequência da guerra em Angola. O escritor colaborou ainda em publicações como Angola Norte, a Revista Internacional de Poesia, a Nováfrica, Ngoma e Convivium. Para além da sua atividade literária, Jorge Macedo dedicou-se também à investigação musical, como músico e compositor

 

error: Content is protected !!