Carta do Leitor: ministra do minJud evita atentado ao bom nome de angola

Caro director, obrigado por esta oportunidade para desabafar. ando muito indignado depois do que aconteceu ao jogador do 1º d’agosto, Capita, suspenso desde há meses pela direcção do 1º de agosto por se recusar a treinar com o plantel. mesmo assim, foi convocado para a “Operação brasil”. Fez parte de todos os treinos da selecção, inclusive no dia 9 deste mês às 8h30, no Estádio nacional da Cidadela, numa derradeira sessão de treino, antes da viagem à noite, para o brasil. Entretanto, os dirigentes do clube dos militares deixaram passar o fi lme, não tugiram nem mugiram e guardaram na manga um “ás” de trunfo, que, se fosse num jogo de cartas, seria o quinto. apareceram um pouco antes da hora de partida do avião, em pleno desenrolar do “check-in”, e conseguiram levar avante o seu plano: impedir que Capita partisse para o brasil.

Este episódio é um absurdo em qualquer pais que se diga democrático e de direito, Capita é um menor de idade, não tem cadastro, não tem qualquer contrato profi ssional como futebolista, nem pode ter, com o 1º d’agosto, não é militar, só podia ser impedido de sair do país pelos pais, ele é menor, repetimos…isto não tem ponta por onde se lhe pegue, é mais que ilegal, é uma violação da Constituição angolana, é uma violação dos direitos humanos, é um tristíssimo retrato daquilo que algumas altas personagens do nosso país pensam do valor que tem a nossa lei. Felizmente houve uma rápida reacção da senhora ministra da minJud e Capita lá partiu no dia seguinte. Foi evitado assim mais um atentado ao bom nome de angola. E eu pensei, cá pra mim, só há um culpado e uma só pergunta a fazer: quem foi que deu ordem para que Capita fi casse em terra?… Reposta? uma ova!… E, que eu saiba, ninguém ainda sabe! Triste.

José Favarica

Lobito

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!