Instituto Confúcio lança concurso de redacção sobre a China

O primeiro vencedor terá como prémio uma viagem à China com estadia paga e submetido a um curso de mandarim numa das escolas mais reconhecidas da cidade de Pequim

No âmbito das comemorações relativas ao 70º aniversário da revolução chinesa e dos 33 anos do estabelecimento das relações diplomáticas entre Angola e China, o Instituto Confúcio da Universidade Agostinho Neto (UAN) organiza o primeiro concurso de redacção “EU CONHEÇO A CHINA” O referido concurso tem como objectivo principal aprofundar a amizade entre Angola e a China, fortalecendo as trocas culturais e aprimorar o entendimento mútuo entre os dois povos.

Para o efeito, todos os interessados (cidadãos angolanos estudantes dos 18 aos 35 anos de idade) devem elaborar uma redacção de 7 mil caracteres onde vão espelhar todo o seu conhecimento sobre a China.

Do conhecimento, devem constar, dentre outros aspectos, conhecimentos gerais sobre aquele país com realce para a Língua,Cultura, Culinária, locais de interesse histórico, história da revolução chinesa, Cinturão e Rota: o sonho chinês de interligar o mundo e a participação da China no desenvolvimento de Angola e de outros países africanos.

Segundo João Shang, director de Cultura do Instituto Confúcio, a redacção deve ser escrita em letra legível, digitadas no computador e de forma bastante resumida, focando- se nos aspectos essenciais. Porém, depois de elaborada, explicou, os participantes devem enviar as suas obras por via electrónica em formato PDF; através do email [email protected] com. A obra deve ser escrita em português, com um número mínimo de 7MIL CARACTERES. A mesma deve ser ainda original, da autoria do participante e que ainda não tenha sido publicada em outros meios de comunicação social.

Segundo o responsável, o prazo para o envio decorrerá de 17 de Outubro a 5 de Novembro de 2019. Já os resultados e os vencedores serão conhecidos no dia 9 de Novembro numa gala a ser realizada no Auditório do Instituto Confúcio aonde vão participar todos os concorrentes. Relativamente aos prémios, João Sang fez saber que os prémios são atribuídos aos três concorrentes que apresentarem melhor qualidade, sendo que o primeiro vencedor terá como prémio uma viagem à China com estadia paga e um curso de mandarim numa das escolas mais reconhecidas de Pequim.

Já o segundo classificado terá como prémio 70 mil Kwanzas e um kit de materiais didácticos, enquanto que o terceiro lugar receberá como gratificação um valor de 50 mil Kwanzas e um kit de material didáctico. “As condições de abordagens devem estar ligadas aos temas que se baseiam na língua, cultura chinesa, número de habitantes da China, número de províncias, localização geográfica, culinária, locais de interesse histórico, a história da revolução chinesa, Cinturão e Rota e a participação da China no desenvolvimento de Angola e de outros países africanos. Não se poder f

error: Content is protected !!