Artistas expectantes com a realização do FENACULT no próximo ano

Os artistas angolanos estão expectantes com a realização do Festival Nacional da cultura (Fenacult) no próximo ano, 2020, conforme informou na Terça-feira, 15, o Presidente de Republica, João Manuel lourenço, no seu discurso de abertura do ano legislativo, sobre o estado da Nação

Por:Antónia Gonçalo

 O festival é muito esperado pelos artistas e deixouos expectantes a aguardar ansiosamente pela sua realização. É o caso do presidente da Associação Angolana de Teatro, Adelino Caracol, que realçou o facto de ser o Presidente da República a dar a notícia, o que tornou as expectativas maiores, observando, porém, que algumas vezes há desfasamento entre o esperado, quanto à realização do evento.

Por essa razão, considerou importante a entidade organizadora do evento solicitar apoio aos artistas, tendo ainda aconselhado que se faça o balanço da edição anterior do FENACULT, de modo a identificar o que correu mal e melhorar na presente edição. “Questiono se não será apenas mais uma realização, sem a devida qualidade e tratamento. É importante que as pessoas que auxiliam o Chefe do Estado consigam transformar essas expectativas numa coisa concreta. Às vezes, auguramos o melhor e criamos imensas ilusões, mas na hora é totalmente diferente, porque o Presidente diz uma coisa e depois há uma diferença na execução que estava prevista”, refutou.

Palácio da Música e do Teatro

O Chefe do Estado, no seu discurso, disse ainda que está em estudo o projecto de transformação do antigo edifício da Assembleia Nacional em Palácio da Música e do Teatro e também o de requalificação das instalações da antiga Praça de Touros e do Cine Nacional. Adelino Caracol disse que estão felizes de estar prevista a requalificação do mesmo e que esperam a sua conclusão para a massificação das artes no país. “Estamos felizes de saber sobre essas requalificações, porque nós sempre discutimos sobre as infraestruturas. É sempre bom quando o Chefe do Estado se refere às disciplinas artísticas dentro do balanço do estado da Nação.

Notamos que além de ser do Ministério da Cultura, é um problema que está a ser visto ao nível do Governo Central e pelo Presidente ”, observou. Sobre o assunto, o músico e compositor Sabino Henda enalteceu a iniciativa, mas almeja que a sua gestão esteja a altura de congregar todos os artistas, a fim de ter o valor necessário. “Nós, os artistas, os promotores culturais precisamos de nos aprimorar de forma a dar respostas a essas possibilidades que estamos a receber por parte do Executivo”, disse.

Variante

Sabino Henda achou ainda necessária a valorização do Festival de Música Popular Angolana (Variante), assim como os festivais provinciais, que, segundo ele, contribui para o desenvolvimento da música e da Cultura na região, proporcionando a troca de experiências entre artistas de várias províncias do país. “Precisamos de um espaço maior para que a nova geração saiba o que é a nossa cultura e que seja também mais respeitada. O que notamos é que a juventude hoje não conhece nada sobre nós mesmos. Por isso, precisamos de reforçar com mais acções

error: Content is protected !!