O editorial

Dezoito menores de cinco anos de idade morreram por complicações ligadas à malnutrição, de Janeiro à data presente, no município da caála (Huambo), quando em igual período de 2018 as autoridades haviam registado 31 óbitos, noticiou esta quinta-feira a ANGOP. aparentemente, a notícia é positiva, e até é, mas não deixa de ser vergonhosa, ainda que anuncie uma redução. Porque não se sabe se esta redução é sustentável, infelizmente, e porque estas mortes, ainda que de uma única se tratasse, acontecem numa área de elevada produção agrícola. Pelo menos é o que não se cansam de anunciar as autoridades. Trabalhar o campo não é o sufi ciente para garantir uma boa nutrição, é verdade, mas então há que admitir a falha dos serviços públicos, que devem educar as populações e fazer com que as colheitas do campo sejam transformadas em alimentos para a boa nutrição das crianças e das mulheres. O Estado tem mesmo de defender as crianças, é seu dever.

error: Content is protected !!