Carta do leitor:Moradores do Cassequel de volta ao trabalho

Por:Sismundo Camões

Saudações, caro director! É pela primeira vez que escrevo para o vosso jornal. O assunto de hoje recai para as chuvas que têm causado vários transtornos aos munícipes de Luanda. Época de chuva chegou e as férias terminaram para os moradores da rua 42 do Cassequel do Lourenço. Deste modo, os habitantes do Cassequel terão de reunir materiais e forças para poderem retirar as águas estagnadas. Todos sabemos as possíveis consequências da poluição da água. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 80% das doenças que acometem a população dos países subdesenvolvidos são provocadas pela água contaminada. Entre as principais estão a hepatite, disenteria, cólera, malária, só para citar estas. A rua fi ca totalmente inundada e até intransitável. Crianças que deviam estar a caminhar para mais um dia de aprendizagem são obrigadas a estar ali e a desempenhar uma função não benéfi ca para o seu processo de crescimento. A rua 42 do Cassequel nasceu sem qualquer plano urbanístico e, por isso, faltam esgotos, asfalto e vala de drenagem, para facilitar o escoamento de águas pluviais. Deste modo, os seus habitantes estão sujeitos a doenças graves. No período nocturno, jovens fazem o uso de substâncias ilícitas sem qualquer medo. Mas, também, é o que esperávamos: um bairro sem um lugar de lazer. Entretanto, o Estado precisa de intervir rapidamente, por forma a encontrar soluções para o bem-estar daquela população.

Cassequel do Lourenço –
Luanda

error: Content is protected !!