PR inaugura aeroporto do Kuito sob ‘banho’ de gente

O Presidente da República, João Lourenço, procedeu, na tarde desta Sexta-feira, 18, na província planáltica do Bié, à inauguração do aeroporto Joaquim Kapango, orçado em USD 45 milhões, com capacidade para receber aeronaves do tipo Boeing 737

Constantino Eduardo, enviado ao Bié

Sob olhar atento de uma alavanche de gente, proveniente de vários municípios da província do Bié, o Chefe de Estado procedeu ao corte da fita e descerrou a placa, marcando, deste modo, a inauguração do empreendimento aeroportuário. Logo a seguir, sujeitou-se a uma visita guiada às dependências da infra-estrutura. Antes, o Presidente João Lourenço recebeu informações sobre as fases de um projecto que teve início em 2017, tal como sublinhou o ministro dos transportes, Ricardo de Abreu.

Com uma pista de 2500 metros, incluindo um terminal de carga, o aeroporto tem capacidade, em hora de pico, de 360 passageiros em simultâneo, estando em condições de ‘forma certificada’. Falando à imprensa, no aeroporto ora inaugurado, o ministro Ricardo de Abreu afirmou que, com este investimento, o Executivo de João Lourenço pretende dotar a província de uma infra- estrutura capaz de garantir a conectividade aérea com eficácia, uma vez que existem outros meios de ligação à região.

‘O aeroporto vai ser muito útil para esta região’, sustenta Questionado se, atendendo à demanda da região do Bié em termos de transporte aéreo o aeroporto não corre o risco de acabar transformado num ‘elefante branco’, o ministro dos transportes refere que o sector da aviação civil, em Angola, tem um espaço grande de progressão. ‘A nossa tarefa é de liberalização ao sector privado.

Pretendemos que haja ligações interprovinciais, sem que haja a necessidade de as pessoas se deslocarem para Luanda para ir às outras províncias’, salienta. Segundo o ministro, em termos de projecção de passageiros para o Bié, numa primeira fase, serão vôos regulares da TAAG, com duas frequências semanais ‘aquilo que estamos a perspectivar é, com a abertura do mercado, e a entrada de novos operadores privados -nacionais e estrangeiros-, conseguirmos dar utilidade a esta infra-estrutura’, realça.

Operadores privados à espera de licenciamento O ministro dos Transportes salientou que o seu pelouro tem sobre a mesa uma série de cartas de manifestação de interesse por parte de operadores de gestão aeroportuária para licenciamento. ‘O interesse se centra naqueles aeroportos com potencial de ligação externa’, disse, assinalando que o seu sector está neste momento focado na regulamentação da gestão aeroportuária.

error: Content is protected !!