Desorganização marca I edição do “Angola Video Music Award”

O primeiro factor posto em causa foi o incumprimento do horário. O evento que estava marcado para as 19 horas, iniciou apenas às 23 horas, quatro horas depois do previsto

A desorganização dominou a I edição da Gala de Premiação do Angola Video Music Award, realizada Sexta-feira, 18, no Centro de Conferência de Belas (CCB), em Luanda. O início da actividade estava marcado para as 19 horas e começou apenas, às 23, facto que começou por irritar os convidados.

É o caso de Abel Cândido, que teve de sair de casa às 16 horas da Centralidade do Kilamba, com o intuito de chegar cedo ao referido evento, que por sua vez, os organizadores foram infiéis no cumprimento do horário estabelecido. Um outro aspecto tem que ver com o facto de a actividade que objectiva prestigiar anualmente os melhores videoclipes de artistas nacionais e internacionais de sucesso em Angola e os profissionais do áudio-visual com foco no impulso ao incremento da indústria musical e audiovisual, ter 15 vencedores em distintas categorias, mas apenas 4 terem subido ao palco para içar o troféu, dentre os quais Os Moikanos, Lioth, TRX e Trigo Limpo. Em contrapartida, Daniel Mendes, coordenador da organização, referiu que, como sempre, as primeiras edições nunca correm 100 por cento bem e, apesar desta ser planificada, reconhece que houve muitos problemas. “Foi difícil, porque alguns parceiros nossos não foram capazes de nos ajudar. Tivemos de lutar e conseguimos.

Tivemos situações complicadas, a isso estamos habituados. Entendemos que pelo facto de o projecto ser novo, as pessoas às vezes ficam sem acreditar”, acrescentou. A título de exemplo, Daniel Mendes referiu-se ao Angola Music Award que nasceu nos mesmos moldes e hoje encontra-se na VII edição, pese embora tenha passado por diversas complicações. Para compensar o público, adiantou, terão que trabalhar para ter uma II edição melhor. “Reveremos os nossos erros, para que na próxima edição o público saia daqui satisfeito”, garantiu.

Vencedores 

O concurso teve 15 categorias e assim, na de Melhor Direcção venceu a dupla Yobass, com o videoclipe da música “Me Fizeste Como”. Na categoria de Melhor Produção, levou o galardão NGA, com “Tatuagens, Cicatrizes & Diamantes”. O Melhor Vídeo Afro-House foi “Oi Mana”, dos Moikanos, com participação de Scró Q Cuia. Este prémio, para eles, de acordo com Pery, membro do grupo, representa uma batalha incessante, pelo facto de já virem a trabalhar durante muito tempo. Assim, o Melhor Vídeo Gospel foi atribuído a Lioth Cassoma, com o videoclipe “Jericó”.

A Lioth, acha formidável a introdução da música gospel em premiações como essas, uma vez que é pela via da música sacra que mais pessoas têm-se convertido a Deus, passando para a Igreja depois de ter ouvido esta música. Por sua vez, Matias Damásio, com a música “Voltei com Ela”, arrebatou o título de Melhor Vídeo kizomba. No Kuduro, o prémio foi atribuído a Noite e Dia , pelo vídeo “Lhe Avança”. No Guetto Zouk, Trigo Limpo, Neide Sofia, Dj Hélio, ganharam com “Fortex Tarraxux”. E Paul-G com C4 Pedro, venceram na categoria de Vídeo RNB/ Soul, com “Flutuar”.

Já “Enrolo Todos”, de Vui Vui, levou o título de melhor Vídeo Rap / Hip-Hop. Melhor Vídeo Semba foi de Filho do Zua, com “Chinela de 200”. Certamente, Anselmo Ralph arrebatou o galardão de Melhor Vídeo Colaboração Internacional, pela sua participação na música “La Rádio”, de Enrique Inglesias. Por conseguinte, “Ligar Pra ti”, da TRX, venceu na categoria de melhor Vídeo Grupo e “Alma Gémea”, de Halison Paixão, de melhor Vídeo Artista Revelação. Na categoria de Vídeo do Ano, Córeon Du venceu, com a música “Sol Raia”

error: Content is protected !!