Duas horas de “enganos” de outros

O Presidente tem de ter a oportunidade para mostrar ao povo o que o povo quer: seriedade no Governo. A vida anda demasiado difícil para se aturar determinadas falhas. Os deputados, incluindo os do MPLA, saem-nos demasiado caro para nos atirarem à cara que vão à Assembleia Nacional para dormir no dia em que voltam das férias. Os auxiliares do Presidente têm demasiadas regalias para passarem ao chefe informação mentirosa. Expuseram– no a um vexame. Para o povo, ele é o autor da informação que passou sobre o Estado da Nação. Lourenço não é omnipotente, nem omnipresente, apenas um ser humano com responsabilidades acrescidas.O número de novos empregos anunciados, o tal terço dos 500 mil, está além do crescimento de contribuintes da Segurança Social. O Presidente anunciou empregados “fantasmas” como sua realização. A Mediateca do Cuito nunca foi inaugurada, mas alguém levou o Presidente a ler números estatísticos de frequência. A Estrada Xá-Muteba – Saurimo é uma miragem, Lourenço apresentou-a como realização consumada. A escola Hélder Neto, no Namibe, é só paredes, foi dada como concluída. Em Angola circula, e muito mal, apenas um jornal físico diário, do Estado. O papel é super caro, a distribuição não tem subsídios, tirando os das Edições Novembro, tal como a publicidade institucional. Há muito menos imprensa, e o pós a citar o ridículo de 219 jornais. Neste aspecto, Angola tem o rosto de uma ditadura que não tolera a pluralidade de informação. As viagens Presidenciais têm cobertura… “do Presidente”. Lourenço tem um problema dentro de “casa”´, em alguns sectores o Governo não está bem servido.

error: Content is protected !!