Novo hospital geral do Kuito será entregue no I trimestre de 2020

As obras de construção da unidade sanitária, orçadas em USD 48 milhões, foram constatadas pelo Presidente da República, João Lourenço, na tarde da última Sexta-feira, 18, tendo sido informado que terá a capacidade para 250 camas

Por:Constantino Eduardo, enviado ao Bié

A província do Bié vai ganhar, no primeiro trimestre do próximo ano, um hospital de referência, apetrechado com tecnologia de ponta, para fazer face à demanda de especialidades, uma vez que o actual hospital apresenta um quadro avançado de degradação. Entre os serviços a serem prestados, o destaque recai para os de hemodiálise com 25 cadeiras.

Para esta empreitada, o governo deverá contar com suporte de nefrologistas estrangeiros, segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta. Em declarações à imprensa, depois de ter prestado as informações técnicas ao PR, Sílvia Lutukuta realçou que a unidade vai dispor de várias especialidades, a começar pela psiquiatria. ‘Vamos ter as áreas técnicas de laboratório de imagens com aparelhos e equipamento de última geração. Vai haver TAC, exame de radiologia, além da parte dentária e de ecografia’, pontualizou a titular da pasta.

A responsável pela Saúde no país afirma que o projecto contempla igualmente áreas de cirurgia com alta complexidade, que vai permitir realizar cirurgias ‘minimamente invasivas’, além de outras especialidades, designadamente de cardiologia, obstetrícia, medicina interna, ginecologia, bloco de parto, oftalmologia, otorrino, entre outras. ‘Nós vamos ter uma área que será o bloco de parto que, além da assistência aos partos normais, terá o seu bloco operatório para cesariana e outros, e uma série de valências médicas’, disse.

A ser construído numa área de 15 mil metros quadros, o hospital contará com 250 camas e afigurar-se-á como uma unidade sanitária bastante movimentada, em termos de pacientes, fruto dos serviços previstos. A ministra da Saúde disse estar acautelada a questão de quadros para aquele hospital que se ergue na cidade capital, Kuito. ‘Até ao próximo ano, vamos ter outras valências no mercado nacional e vamos contar com a cooperação estrangeira’, garante.

Para além da capacidade assistencial, a unidade será um hospital docente para formação especializada de técnicos de regime especial (médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico). As obras de construção da unidade sanitária tiveram início em Abril de 2018 e estima-se o primeiro trimestre de 2020 como data de conclusão. Num futuro próximo, assinala a ministra, o actual hospital central, em estado avançado de degradação, entrará em obra para ser transformado num centro materno-infantil.

 

error: Content is protected !!