Nyusi assume a liderança em Moçambique, oposição protesta

O presidente em exercício de Moçambique, Filipe Nyusi, assumiu a liderança nos resultados das eleições presidenciais desta semana, mas o principal partido da oposição questionou os resultados, alimentando tensões há apenas dois meses após um acordo de paz

Com cerca de 39% dos votos contados, dos cerca de 13 milhões de eleitores registados, Nyusi assumiu a liderança, assegurando 68,85%, enquanto o seu principal concorrente Osuffo Momade, do partido Renamo, acumulou 26,20% dos votos até agora. O secretário-geral da Renamo, Andre Magibire, disse que o partido estava descontente com o modo como as eleições presidenciais, legislativas e provinciais de Terça- feira foram realizadas e que houve “fraude maciça”. O partido realizou uma conferência de imprensa no Sábado e emitiu um comunicado, acusando a Frelimo de violar o frágil acordo de paz do país. A eleição foi vista como “fazer ou quebrar” o pacto de paz, que pôs fim de modo formal a décadas de hostilidade entre a Renamo e a Frelimo.

Os dois lutaram em lados opostos de uma guerra civil que terminou em trégua, em 1992, mas retomaram os conflitos esporadicamente nos anos seguintes. Magibire disse que a Renamo realizará uma reunião na Segunda-feira para decidir os próximos passos. Depois de votar, Momade alertou Nyusi para não manipular os resultados das eleições e disse que o seu partido não poderia aceitar o resultado se fosse fraudulento. O porta-voz da Frelimo, Caifadine Manasse, disse que as eleições são justas, livres e transparentes e não afectariam o acordo de paz.

error: Content is protected !!