Tuberculose mata 102 pessoas em nove meses

O número de pessoas falecidas por tuberculose no Hospital Sanatório do Huambo aumentou 25 por cento, ao provocar 102 óbitos, contra os 77 do igual período anterior, disse hoje, segunda-feira, à ANGOP o responsável desta unidade sanitária, Joaquim Isaac.

Deste número, segundo Joaquim Isaac, quinze chegaram ao hospital em estado grave, deixando a equipa médica e técnicos de enfermagem sem solução.

Referiu que, ao longo do período em análise, foi assistido, nas consultas externas e internas, um total de 10 mil e 152 pacientes, com diversas complicações pulmonares, quando, em igual período de 2018, se prestou o atendimento médico e medicamentoso a nove mil e 705.

Disse que, dos 10 mil e 152 pacientes assistidos, 881 foram confirmados como positivos, através de exames laboratoriais, com 731 internamentos, enquanto, entre Janeiro e Setembro de 2018, foram diagnosticados 942 casos e 631 doentes chegaram a estar acamados.

Salientou que, actualmente, estão internados 90 doentes, entre crianças e adultos,  alguns dos quais associados ao VIH/SIDA.

Em virtude disso, o responsável aconselhou os cidadãos a optarem por uma alimentação mais saudável e, ao mesmo tempo, a evitarem o consumo exagerado de bebidas alcoólicas e de tabaco, além da manutenção da higiene corporal e do meio.

O responsável descartou qualquer carência de medicamentos, do tipo antibacilares, indispensável para o tratamento da tuberculose.

Com capacidade para internar 200 doentes, actualmente com 77 pacientes acamados, o Hospital Sanatório da Província do Huambo, que partilha as instalações com a Faculdade de Medicina da Universidade José Eduardo do Santos, conta com 12 médicos e 62 enfermeiros, entre estes últimos 22 com formação superior.

A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria que afecta, principalmente, os pulmões, mas também pode ocorrer noutros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

A sua transmissão é directa, de indivíduo a indivíduo, sendo a aglomeração de pessoas o principal factor de transmissão.

error: Content is protected !!