“Zenu” dos Santos pede advogado oficioso

O Tribunal Supremo pediu  à Ordem dos Advogados a  indicação de um defensor   oficioso à favor do   antigo presidente do Fundo Soberano de Angolano, José Filomeno dos Santos.

“Por carta dirigida a esta Câmara, este arguido comunicou-nos ter revogado a preocupação conferida ao escritório de advogados “Legis Veritas” e na mesma requereu que o Tribunal lhe nomeasse um defensor oficioso”,  lê-se na carta,  assinada pela   secretária judicial da Câmara Criminal do Tribunal Supremo, em Luanda, Elsa do Carmo,  datada de 16 de Outubro, a que OPAÍS teve acesso.

Elsa do Carmo sustenta que  “atendendo à natureza e complexidade dos referidos autos, agradecemos a V.Excelência com a brevidade que for possível, se digne indicar um advogado que possa servir de defensor oficioso ao requerente”.

A Câmara Criminal do Tribunal Supremo  tinha inicialmente  marcado   para o dia 25  de  Setembro último o início do julgamento do ex-presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos “Zenu”, e do ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe Duarte da Silva, acusados de branqueamento de capitais e peculato.

Contudo, o mesmo viria ser adiado  dias depois   por  alegada “indisponibilidade da defesa”.

O Tribunal Supremo  alegou, em comunicado,  que  a defesa  dos arguidos tinha solicitado o adiamento do início do julgamento “pelo facto de estar a participar, na qualidade de advogado constituído, no julgamento que decorre no Supremo Tribunal Militar, devendo designar-se nova data oportunamente”.

Zenu dos Santos, que se encontra-se  em regime de Termo de Identidade e Residência

error: Content is protected !!