Ministro adjunto de Cabo Verde vítima de “enfarte agudo do miocárdio”

O Governo divulgou esta Terça-feira (22), em comunicado, que o resultado da autópsia realizada ao corpo do ministro adjunto, Júlio Herbert, concluiu que a causa da morte resultou de um “enfarte agudo do miocárdio”.

Já as cerimónias fúnebres dos restos mortais do governante estão marcadas para esta quinta-feira, no período de manhã, a partir do Palácio do Governo, na Várzea-Praia. Júlio Herbert, que respondia pela pasta de Integração Regional, foi encontrado morto no seu gabinete na segunda-feira à tarde, no Palácio do Governo, na Cidade da Praia.

O seu foi transladado, no mesmo dia, para a morgue do Hospital Dr. Agostinho Neto, após concluídas as perícias médico-legais. De acordo com o comunicado governamental citado pela Inforpress, as cerimónias fúnebres decorrem esta quinta-feira, 24 de Outubro, a partir das 09:00, no Palácio do Governo, na Várzea, seguidas da missa de corpo presente na Paróquia Nossa Senhora da Graça, terminando depois no cemitério da Várzea.

Júlio Herbert, que no próximo dia 16 de Novembro completaria 65 anos, exercia actualmente as funções de ministro adjunto do primeiro-ministro para a Integração Regional – vinha pondo foco sobretudo no mercado da CEDEAO, trabalhando vários dossiês importantes, com destaque para a livre circulação na região.

Na sequência da sua morte, o Governo de Cabo Verde decretou dois dias de luto nacional, a partir de hoje,22, com a Bandeira Nacional içada a meia-haste em todos os edifícios públicos.

Luto nacional e mensagem do PM “Considerando o percurso do Júlio Herbert e os esforços consentidos no processo de afirmação política, económica, social e cultural de Cabo Verde, principalmente no nosso continente, entendemos, em expressão de justa homenagem, declarar esses dois dias de luto oficial”, lê-se na mensagem do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, divulgada esta terça-feira, ao final da manhã.

No documento refere-se que o “Governo decreta dois dias de luto nacional, 22 e 23 de Outubro”, sublinhando tratar-se de um “momento de luto e de tristeza”, refere a Inforpress. “É com sentimento generalizado de pesar e comoção que o país recebeu a notícia do passamento do Dr. Júlio Herbert”, salienta ainda a mensagem do primeiro-ministro, destacando ter desempenhado “as suas funções com elevado sentido de Estado”.

Júlio Herbert era formado em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, de Brasília, e em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Tinha actualmente a categoria de embaixador, mas ao longo da sua carreira desempenhou várias outras funções, nomeadamente cônsul-geral adjunto de Cabo Verde em Boston, Estados Unidos da América, assessor político-diplomático da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), conselheiro do Presidente da República e conselheiro político e diplomático do primeiro-ministro. Filho de pais cabo-verdianos, Júlio Herbert nasceu em 16 de Novembro de 1954 em Bissau, capital da Guiné-Bissau.

(ASemana)

error: Content is protected !!