Filipe Inácio nega ter sido PCA do Banco Mais na data do encerramento

O bancário Filipe Lemos Inácio declarou ontem, a OPAÍS, que a data em que o Banco Nacional de Angola (BNA) revogou a licença do Banco Mais, S.A, pelo facto de os seus accionistas não terem conseguido aumentar o seu capital social para 70 mil milhões e 500 milhões de Kwanzas, já não exercia o cardo de presidente do Conselho de Administração (PCA). “Apesar de no sítio do BNA estar como administrador executivo, na verdade nunca fui. Eu era administrador não executivo. Não tinha nenhuma função nem pelouros sob minha coordenação e direcção”, frisou. No entanto, no site deste banco comercial Filipe Inácio aparecia, até à noite de ontem, como seu PCA e o seu colega António Fernandes Santana como administrador independente, conforme divulgou este jornal na edição de Segunda-feira. Confrontado com essa informação, esclareceu que nunca visitou a página oficial da instituição em que trabalhava, cujos direitos de autores (Copyright) fazem referência a 2019, e que tal referência devia-se ao facto de o mesmo se encontrar em construção na altura em que era o PCA interino. Filipe Inácio contraria tal informação alegando que em função do empresário Jorge Gaudens Pontes Sebastião ter renunciado ao cargo de PCA do referido banco comercial, no dia 26 de Setembro, ele foi “indicado” para interinamente presidir o Conselho de Administração até a reunião dos accionistas. Esclareceu ainda que cessou a função de PCA interino no dia 19 de Outubro de 2018, por deliberação unânime dos accionistas, que constituíram um novo Conselho de Administração, sob a presidência de Fausto de Carvalho Simões, coadjuvado por António Fernandes Santana e Joaquim Faria Briote, como administradores-executivos. Ele, porém, passou a administrador não executivo. De realçar que entre 2014 e 2018, a Comissão Executiva do Banco Mais esteve a cargo de José Valentim Barbieri. A partir de Junho de 2018, Jorge Gaudens Pontes Sebastião assumiu o cargo de PCA e tinha como administradores executivos António Fernandes Santana e Hélder Jesus dos Santos.

error: Content is protected !!