Gilmário Vemba abandona os Tuneza

O comediante decidiu pôr fim ao vínculo que os mantinha unidos há 20 anos, por não mais se rever na sua linha editorial. Os internautas, alegam que o facto se deve aos trabalhos realizados em Portugal

O humorista angolano Gilmário Vemba, integrante do grupo os Tuneza desde a sua criação, em 2003, decidiu deixar o conjunto por não mais se rever na sua linha editorial, conforme se lê numa nota assinada pelo director do grupo, Orlando Rodrigues, divulgada ontem.

O comediante pretende seguir uma carreira a solo e, por esta razão, o grupo se reuniu com o mesmo e decidiram pôr fim ao vínculo que os mantinha unidos há 20 anos. “É com muita tristeza que o grupo humorístico angolano os Tuneza comunica aos seus fãs, amigos, simpatizantes e ao público em geral que, o membro fundador do grupo Gilmario Vemba já não é mais membro do grupo”, lê-se no documento. Triste com a ocorrência, Costa Vilola contou que apesar da situação vir agora à público, era tratada já há algum tempo, e tentaram fazer com que o integrante do grupo repensasse a sua decisão.

“Até agora a verdade é esta. É triste quando se trata de alguém com quem trabalhamos há 20 anos, e num momento como este, em que as coisas estão muito bem, parte assim. Não há nenhum problema de desentendimento e nunca tivemos algo assim, que pudesse causar tal situação”, disse. Apesar do facto, o actor, que interpreta a personagem Filipe Manuel (Momô) no programa televisivo de humor “No cubico dos Tuneza”, emitido pela Zap Viva desde 2018, disse que, continuarão a trabalhar nos seus projectos, de modo a dar continuidade ao grupo.

Internautas

Muitos são os fãs que se mostraram insatisfeitos com a notícia, através de várias reflexões. Uns alegam que a saída de Gilmário se deve aos trabalhos à solo realizados tanto no país como em Portugal. Enquanto outros dizem ser devido à sua personagem, “Adão Nvuenda”, (No Cubico dos Tuneza), que segundo eles, é pouco destacada. É o caso de Fábio Rodriguez, que apoia a decisão do comediante. “Antes, quando fazia a personagem “Ti Martins” tinha mais peso no grupo. Agora, Adão Nvuenda não se nota muito, porque o Momô (general foge à tempo) conquistou o público e só se fala dele e da Bolinha, observou.

Por sua vez, o cidadão Fernandinho Furtado alega que a saída do talentoso do conjunto está relacionada com os trabalhos a solo, realizados no país e em Portugal. Já a citadina Quioza dos Santos Tomás considera injustas as críticas feitas ao comediante, por achar necessária a mudança de paradigmas. “Acho que não temos motivos de criticar a saída de nenhum dos membros do grupo.

Assim como Vemba, poderia ser o Costa ou outro. Devemos é dar força ao nosso compatriota, que muito já fez por este grupo, mas agora chegou o momento de trilhar outros palcos”, disse, tendo desejo sucessos aos restantes integrantes e apelado para que a amizade e a irmandade se perpetuem entre eles.

O grupo

O grupo “Os Tuneza” foi criado em 2003, inicialmente como um grupo teatral, por integrantes do extinto Colectivo de Artes Tuneza, criado em 1999. Os “Tuneza” passaram a apresentar-se em vários restaurantes e espaços públicos de Luanda. Em 2017 lançaram o primeiro álbum musical intitulado “Humor ao Domicílio”. Em 2018 é lançado o DVD “Fora de Série”, contendo as dez primeiras edições do programa com o mesmo nome. Em Dezembro de 2009, o grupo estreou o programa “Coisa Doida”, na TV Zimbo. Além dos programas de televisão, os Tuneza também se apresentam com o espectáculo “Show Tuneza – Segunda Temporada”, que tem a duração de duas horas, composto de sátiras a diversos artistas angolanos. Em 2016 Os Tuneza estrearam na emissora Mundo Fox o seu programa “Os Tropas D’os Tuneza” um programa com muito humor e os participantes são humoristas de toda Angola e fazem parte de uma batalha de humor onde o vendedor se torna tropas d’os Tuneza. Programa cheio de diversão, comédia, da operadora DStv no canal 500, Mundo Fox. Em 2017, estrearam na Zap, no canal Zap Viva, o programa de comédia “No Cubico dos Tuneza”

error: Content is protected !!