Mulheres incentivadas a ingressarem no ramo das TIC

Anualmente, 50 mulheres vão beneficiar do programa de bolsas de estudo da Unitel, designado “Mulheres para o futuro”, criado para contribuirna promoção da igualdade do género nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)

As candidaturas desta segunda edição do programa de bolsas de estudo da Unitel, designado “Mulheres para o futuro”, começam no dia 1 de Novembro e terminam a 1 de Dezembro do ano em curso, segundo declarações da directora-geral adjunta para os assuntos corporativos da instituição, Eunice de Carvalho, feitas ontem em Luanda.

A iniciativa enquadra-se na estratégia de responsabilidade corporativa da empresa. As 50 bolsas são internas, para as mulheres até aos 25 anos, que se vão matricular ou já estejam a frequentar o ensino superior nas áreas de engenharia electrotécnica e telecomunicação, informática, telecomunicações, electromecânica, ciência da computação, redes, informática de gestão mecatrónica e electrónica. À semelhança da I edição, realizada em 2018, as bolsas serão para frequentar instituições de ensino superior a nível do país reconhecidas pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação.

Depois de terminar os estudos, as bolseiras que tiverem média final de no mínimo 16 valores entrarão para o programa “Top Students” e beneficiarão de seis meses de estágio na Unitel. Segundo Eunice de Carvalho, o objectivo do programa é aumentar o número de mulheres que trabalham em tecnologias de informação e comunicação, de modo a promover a igualdade de género. As primeiras 50 bolseiras já iniciaram os seus estudos, no ano académico 2019, as candidatas deste ano começarão a estudar em 2020. O programa é de âmbito nacional, sendo que na primeira edição registaram bolseiras das províncias de Luanda, Malanje, Huíla e Benguela. Na ocasião, a gestora apelou às mulheres residentes fora da capital do país a participarem em massa, considerando que o programa é direccionado para todo o país. “O desenvolvimento e o progresso não estão apenas em Luanda. Nós temos as nossas lojas disponíveis a nível das províncias com informação e também no site www.unitel. ao. As candidaturas devem ser enviadas para o e-mail [email protected] unitel.co.ao”, disse. Actualmente, 37% da força de trabalho da Unitel são mulheres, sendo que 40 têm cargos de chefia.

Apesar deste facto, a direcção acredita que ainda não é o almejado, tendo em conta que a população feminina no país está acima dos 50%. Não consideram apenas ilustrar números, mas um trabalho de qualidade e excelência. Sem mencionar o valor do investimento, disse que a bolsa cobre a matrícula, inscrição, propina, livros e valor para gastos gerais, designadamente alimentação e transporte. A beneficiária vai contar também com o suporte de um mentor Unitel durante a permanência da bolsa, no sentido de a orientar nos estudos e na carreira. “É um valor avultado, mas o investimento é feito sem olhar para os números em particular, o maior interesse são os resultados, tendo em conta que o pretendido é ter todos os anos 50 mulheres a estudar com excelência e a contribuírem para o desenvolvimento do país”, sublinhou Eunice de Carvalho.

O director nacional das Telecomunicações, Pedro Mendes de Carvalho, felicitou a instituição por oferecer bolsas de estudo para o empoderamento das mulheres, frisou que o programa está em sintonia com os compromissos do Executivo. Tendo em conta que está comprometido com o desenvolvimento das metas do desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Pedro de Carvalho lembrou que na da sua instituição foram aconselhados, à margem da conferência mundial do desenvolvimento das telecomunicação e tecnologia de informação, a incentivar as mulheres a optarem por carreiras ligadas a ciência, tenologia, engenharia e matemática.

error: Content is protected !!