PAT II projecta sistema de produção de estatística

À medida que avança, o programa do Ministério da Educação que se preocupa com a formação dos professores estuda contemplar outras áreas de necessidades conexas às da docência, de modo a facilitar as políticas de execução eficiente do órgão reitor

Quando, em 2022, arrancar a extensão do Projecto Aprendizagem para Todos, denominado PAT II, pretenderá trabalhar na projecção de um Sistema Nacional de Produção de Estatística, a fim de contribuir para a tomada de decisões relativas às políticas de educação, normalmente engendradas pelo ministério que subentende o ensino em Angola, segundo deixou claro o seu gestor, Isaac Paxe.

O responsável, que falava na ocasião da abertura do novo ciclo de formação contínua de professores, detalhou que o programa que, além do ensino primário, vai contemplar o pré-escolar e o secundário do I Ciclo, pretende, igualmente, trabalhar no estabelecimento de outro sistema nacional, para avaliação das aprendizagens. “Se reparar, nós agora estamos a falar de exames nacionais, na expectativa de que haja um sistema de larga escala, isso implica dizer que haja uma cultura de avaliação.

Deste modo estamos a desenhar o PAT II”, declarou Isaac Paxe, para quem os números, se tratados com prudência, constituem elementos essenciais para se ter um ponto de partida, em qualquer sector da vida. Voltando à questão das avaliações das aprendizagens, o gestor do PAT recordou que, na altura de negociação com os dirigentes do Banco Mundial, chegaram ao acordo de que a performance seria medida pelo domínio da língua e dos números, o que, logicamente, permite que a criança desenvolva competências em todas outras áreas do saber científico.

A par da intenção evocada, o número um do Projecto Aprendizagem para Todos falou da visita que efectua à província do Uíge, onde acontecerá um Conselho Consultivo sob o lema, “Direito à educação tendo direito a um professor de qualidade”.

“Porque nós vamos discutir as linhas referentes a como é que o sector se vai encontrar para implementar a agenda da educação no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento, então, o foco será mesmo abordar as questões ligadas à formação, avaliação e recursos humanos e a própria questão do nosso subsistema, sobretudo como é que a sociedade tem estado a avaliar o trabalho do Ministério da Educação (MED) ”, referiu.

Adiantou que as dinâmicas da educação na província cafeícola do Uíge estão de acordo com os indicadores desejados. Para o dirigente, o PAT se advinha como o reforço que o sector do ensino requeria, porque possui um paradigma de formação abrangente, além de se preocupar com a criação de centros de consultas científicas.

Outra estratégia que o projecto veio tornar efectiva, frequente e actuante, é a cultura de trabalho em grupo, um método que o programa orienta praticar na sala de aulas, exactamente nas secções docentes. Isaac Paxe classifica o PAT II como a oportunidade que os operadores do sector têm para melhorar o trabalho que as escolas desenvolvem, no sentido de garantir que cada criança ou cada pai que leva o seu filho a um estabelecimento de ensino tenha o retorno que ele espera do colectivo de professores, que se consubstancia numa educação de qualidade e, acima de tudo, significativa para que esse petiz possa ser um valor acrescentado quando chegar à vida adulta na sociedade.

”.

error: Content is protected !!