Numa denuncia suposta “manifestação violenta” à favor da sua candidatura

O candidato à liderança da UNITA, Abílio Camalata Numa distanciou-se, a instantes, de uma pretensa  manifestação, associada à sua  candidatura, que pretende   realizar   “acções violentas” .  contra os adeptos dos restantes concorrentes em Luanda.  .

Em declarações a OPAÍS online, Camalata Numa assegurou  que “Nós não temos nada a ver com isso e peço à polícia que tome as medidas necessárias e saber donde vem isso”.

O  alerta sobre a suposta manifestação terá sido lançado, este sábado (26), pelo deputado Jorge Mussonguela, dando  a conhecer que estava “iminente uma “acção violenta urdida por  um  grupo  apoiantes,   nas instalações  do complexo Sovismo, no município de Viana,     com o intuito de desencorajar quaisquer apoios aos três outros candidatos e ressaltar a figura de Camalata Numa como “o único membro  com capacidade para dirigir o partido”.

“A nossa candidatura é a mais tranquila e que quer fazer uma transição tranquila no partido. Nós pautamos pelo equilíbrio e pelo trabalho de mobilização dos militantes da UNITA que veem para o congresso”, reiterou.

A juntar-se a esta denúncia, correm nas redes sociais informações que dão conta de uma suposta  exclusão de uma militante de delegação dos “congressistas” da província de Benguela por, alegadamente, ser  uma apoiante confessa de Adalberto da Costa Júnior.

error: Content is protected !!