O editorial:Facturas do IVA

Jornal OPaís edição 1639 de 27/10/2019

Cinco superfícies comerciais, entre intermédias e de grande dimensão, estão temporariamente suspensas, desde Sábado, no Huambo. A sanção foi-lhes aplicada pela inspecção Geral do Comércio. razão: estarem a especular os preços da cesta básica, depois da entrada em vigor do imposto sobre o valor Acrescentado (ivA), no passado dia 1 do corrente mês. vamos viver dias difíceis nos próximos dois meses, tudo porque o ivA foi, por demais, mal explicado e, se calhar, vendo agora o fruto da amargura, até deliberadamente mal explicado. A ideia da não alteração do preço dos produtos da cesta básica ao consumidor é boa, muito boa, mas há que pensar quanto paga o retalhista por eles e que incrementos sofreram desde a origem, sabendo-se que pelo caminho os produtos “pagaram” o ivA. Portanto, dizer apenas que os preços não devem ser alterados não basta, é preciso explicar melhor, senão os comerciantes deixam de arriscar a venda por não compensar e a escassez de produtos será uma realidade dentro de pouco tempo. Mais uma factura do ivA mal explicado

error: Content is protected !!