Bispo Católico quer jovens comprometidos com a pátria

O arcebispo emérito metropolita do Lubango, Dom Zacarias K amwe n h o , defendeu ontem, Domingo, na localidade do Toco, arredores da cidade do Lubango, a necessidade dos jovens identificarem-se com problemas dos outros e estarem alinhados aos propósitos da pátria. Ao proferir a homilia na Oitava Peregrinação à Mamã Muxima do Toco, o prelado apelou aos jovens a saberem ouvir e interpretar bem as coisas, pois só assim estarão comprometidos por uma Angola sem assimetrias. Disse que foi com “agrado

que tomou conhecimento que jovens médicos entregaramse à profissão nos mais diversos municípios de Malanje, sem receio, um exemplo que deve ser seguido por outros, porque a vida não se faz somente nas cidades. “Muitas vezes é essa capacidade de ouvir os outros que nos falta, precisamos ouvir mais o nosso coração de que às vezes podemos ser mais úteis ao nosso próximo, do que julgamos poder”, realçou.

Para o arcebispo, ainda há muita juventude formada, mas que se recusa servir noutras regiões distantes das cidades, apelando que ouçam os clamores da população e interpretem bem os sinais dos novos tempos. Por sua vez, o pároco do Toco, padre Américo Gomes, exortou aos peregrinos a redobrar os esforços a favor das missões que a si estão confiadas. Disse que a Oitava Peregrinação decorreu num período em que há crise, ainda assim peregrinos de outros lugares, sem medir custos deslocaram-se ao Lubango. Apelou para a necessidade dos angolanos serem mais solidários com os que sofrem pela fome, seca e outros males que enfermam o país.

Durante três dias, sob o lema “Jovens com a Mamã Muxima, fortifiquemos, celebremos a nossa fé e missão”, mais de 37 mil fiéis provenientes de vários pontos do país, participaram em palestras sobre “Jovens e as redes sociais”, e “Maria fundamento da nossa fé e missão”. A Paróquia da Mamã Muxima situa-se a 35 quilómetros a sul do Lubango e existe desde Março de 2012. É a mais nova da A

error: Content is protected !!