“O mais difícil durante o mandato foi a comunicação”

A Miss Angola 2018, que residiu na região europeia de Benelux desde os 7 anos de idade, referiu que, no começo, o facto abalou a sua auto-estima

A Miss Angola 2018, Ana Avião, com 25 anos de idade, cujo reinado terminou a 19 do corrente mês, disse a OPAÍS que durante o seu mandato, com duração de 1 ano e cinco meses, foi difícil comunicar com a população nos vários encontros por dominar melhor a língua inglesa. A beldade angolana, que conquistou a coroa do concurso Miss Angola em 2018, concorreu como “Miss Angola Benelux 2017”, região europeia onde viveu desde os 7 anos de idade.

Referiu que, no começo, as dificuldades no que toca à comunicação abalou a sua auto-estima, mas no decorrer do tempo foi ultrapassado. “Muitas vezes por falta de palavras demorava a responder a certas questões que me eram colocadas. Mas, através de aulas e orientações, foi melhorando”, contou.

Durante o reinado, a também modelo efectuou várias visitas com o objectivo de cumprir a sua agenda enquanto Miss Angola, sobretudo nas causas sociais. No Centro Nacional de Oncologia, em Luanda, confortou os enfermos com palavras e feitos, onde constatou que gestos simples podem alegrar e tornar melhor o dia de pessoas carentes. Visitou também a província do Cunene durante o período da seca, onde manifestou a sua solidariedade com a entrega de donativos.

Durante a sua estadia naquela província visitou a sede da Associação de Albinos, onde constatou as enormes dificuldades que vivem por causa da exposição ao sol que afecta a pele destes compatriotas, por falta de protector solar. “Fiquei constrangida porque tive conhecimento que faltava apenas creme da pele para acautelar a situação. Na verdade, deixaram de recebê-lo por falta de apoios. É uma coisa tão simples que colocava em perigo as suas vidas”, lamentou.

Outros países

Ana Avião esteve ainda presente em países africanos, como a Zâmbia e Moçambique, onde interagiu com os habitantes. Realçou que a sua visita à terra do “Marrabenta” foi a mais marcante, por ter convivido com cidadãos com diferentes histórias de vida, que serviram como lição. “Interagi com várias pessoas que tinham uma vida bem construída, mas que, de repente, perderam tudo drasticamente. Isso fez-me pensar na minha vida, porque não sabemos o que acontecerá amanhã. Pensei também da maneira que valorizo as coisas pequenas, como a amizade e a minha família”, enfatizou. Por esse e outros motivos, fez um rescaldo positivo do seu mandato, onde conseguiu cumprir com a agenda relacionada com os projectos sociais. “Foi um mandato muito bom, gostei do apoio recebido dentro do comité. Apesar de ser um ano um pouco difícil, fiz várias viagens em várias províncias do país”. A modelo parabenizou a sua sucessora Miss Angola 2019, Salett Miguel, tendo-a também aconselhado a renovar e construir a sua imagem. “Ser Miss Angola é o sonho de todas as candidatas, mas é preciso ter um tempo primeiro para si, e reflectir sobre a sua personalidade”, recomendou.

Ana Avião

Nascida no Bié, Ana Avião partiu para a Holanda com a sua mãe quando tinha apenas 7 anos. Sempre desejou voltar ao país que a viu nascer e tornar- se numa conceituada empreendedora. Recentemente, obteve o seu diploma em Gestão de Negócios Internacionais e pretende entrar no mundo do empreendedorismo e continuar os seus trabalhos filantrópicos.

error: Content is protected !!