Bolsonaro lamenta vitória de Fernández na Argentina e diz que não irá felicitá-lo

O Presidente Jair Bolsonaro lamentou nesta Segunda- feira a vitória do candidato de centro-esquerda Alberto Fernández nas eleições presidenciais argentinas e disse que não irá “parabenizá-lo” pelo resultado, reiterando que o país vizinho pode inclusive ser afastado do Mercosul.

“Lamento, eu não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal. Primeiro acto do Fernández foi já Lula Livre, dizendo que ele está preso injustamente, já disse a que veio”, disse Bolsonaro a jornalistas ao deixar os Emiratos Árabes Unidos a caminho do Qatar, sua próxima escala numa viagem pela Ásia e Médio Oriente.

Perguntado se daria os parabéns a Fernández, que derrotou o presidente neoliberal Mauricio Macri na votação de Domingo, Bolsonaro respondeu que não, mas ressaltou que não vai se indispor. “Vamos esperar o tempo para ver qual é a posição real dele na política. Ele vai assumir, vai tomar pé do que está acontecendo, e vamos ver qual linha ele vai adoptar”.

A vitória de Fernández, que tem a ex-Presidente argentina Cristina Kirchner como vice, levou o peronismo de volta ao poder na Argentina após uma profunda crise económica atravessada pelo país durante o Governo Macri.

Durante a campanha eleitoral no país vizinho, Bolsonaro quebrou a tradição da posição brasileira de não comentar as questões políticas internas dos vizinhos e ameaçou tentar suspender a Argentina do Mercosul.

O Presidente voltou a comentar essa possibilidade após a confirmação da vitória de Fernández, dizendo que será considerada caso o futuro Governo argentino prejudique o acordo negociado pelo bloco com a União Europeia.

“Se interferir (no acordo Mercosul- União Europeia), segundo o Paulo Guedes, nós, não digo que sairemos do Mercosul, mas podemos juntar ali Paraguai, não sei o que vai acontecer nas eleições do Uruguai, e decidirmos se a Argentina fere alguma cláusula do acordo ou não”, disse Bolsonaro.

error: Content is protected !!