Funcionária da TAP em Luanda detida por suspeitas de tráfico humano e emigração ilegal

A suspeita foi ouvida no Domingo por um procurador em Lisboa

Uma funcionária da TAP, estrangeira, a trabalhar “nos escritórios de Luanda”, foi detida pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, adiantou a companhia aérea à rádio portuguesa TSF. Fonte do SEF (Serviço de Emigração e Fronteiras – de Portugal) confirmou também à TSF que sob a funcionária recaem suspeitas de tráfico humano e auxílio à emigração ilegal.

A funcionária foi detida no Sábado, à saída de um vôo proveniente de Luanda, no aeroporto de Lisboa, e estava acompanhada por duas mulheres, de 27 e de 31 anos, e de dois menores, de um e sete anos, todos estrangeiros e sem qualquer documento de identificação, conforme relata o SEF em comunicado enviado à TSF. “Quando questionadas sobre os seus documentos, afirmaram não tê-los em sua posse e que estariam com uma outra mulher, que identificaram, na altura, como sendo a cidadã agora detida”, explica o documento.

A suspeita encontra-se agora nas instalações do Comando Metropolitano de Lisboa, da PSP. “De acordo com a análise de risco habitualmente efetuada pela Unidade de Identificação e Peritagem Documental do SEF, e considerando o modus operandi, esta situação foi encaminhada para a equipa de combate ao Tráfico de Seres Humanos, adstritos ao Aeroporto de Lisboa.”

A mulher detida seria ouvida ainda ontem à tarde.

error: Content is protected !!